Escritor planeja 2ª edição do Salão Internacional do Livro em Suzano

O escritor suzanense, Ademiro Alves, o Sacolinha, tem boas expectativas para a literatura em 2017. Entre os planos, estão a segunda edição do Salão Internacional do Livro de Suzano e um novo Encontro de Autores Regionais. Sacolinha se diz otimista com a nova gestão do município e espera mais apoio nas atividades culturais da cidade.
Para este ano, o autor está animado, apesar do desmonte que acorre no Governo Federal e Estadual. “Tenho boas expectativas, principalmente pelo novo secretário de cultura. A cidade ficou parada por quatro anos nas mãos do último secretário, que nem sequer ouviu a classe artística, não se reuniu com os grupos culturais da cidade”.
O escritor espera realizar o segundo Encontro de Autores Regionais, o primeiro aconteceu em 2014. “Nos últimos dois anos não tivemos suporte, mas agora esperamos o apoio da nova gestão. A gente ainda tem a esperança da realização do segundo Salão Internacional do Livro de Suzano, que foi feito na administração de Marcelo Cândido (PT), e trouxe escritores nacionais e internacionais”.
Os últimos 12 meses configuraram um período produtivo para Sacolinha. O autor palestrou em nove estados brasileiros. “Viajei por Minas Gerais, Acre, Bahia, Rio de Janeiro, entre outros lugares. Em algumas delas, levei um cordelista e escritor suzanense, o Francis Gomes, para a ‘Palestra Espetacular- Literatura das bordas’. A gente falou da literatura das margens, de escritores que não são publicados por grandes editoras, mas que ainda sim é um trabalho interessante”.
A proposta de falar com um público que ainda não é leitor foi consolidada. “É um público que muitos escritores não tocam, porque geralmente escrevem para pessoas que já lêem muitos livros. Eu, junto com outras pessoas, e com a Associação Cultural Literatura no Brasil conseguimos consolidar a ideia”.
Destaque em 2016
Outro projeto que deu certo em 2016 foi o “Minha Literatura, Minha Vida”, desenvolvido em escolas estaduais. “Falei de literatura para jovens que acham que não gostam de ler, apesar de eu achar que eles gostam, mas ainda não descobriram isso. Então, visitei 32 escolas públicas, ou seja, 32 palestras. Em cada uma delas falei com, no mínimo, 100 alunos e professores”.
Em Suzano, o projeto “Comunidade do Conto” é desenvolvido por Sacolinha desde 2010. “Nesse ano (2016), conseguimos o apoio do Programa de Ação Cultural (Proac), do Estado de São Paulo. Lançamos fanzines de contos produzidos pela comunidade. Foram quatro mil fanzines, em quadro edições”.
Novo livro
No campo pessoal, no último ano o autor publicou o sétimo livro chamado “Brechó, Meia-Noite e Fantasia”, pela editora paulista Patuá. A obra foi lançada em outubro, com tiragem inicial de 300 exemplares, na sede do grupo teatral Contadores de Mentiras.
A publicação reúne 11 contos escritos pelo autor nas edições do projeto Comunidade do Conto. O título foi inspirado no conto principal.