Comandante da PM é contra uso de arma pelos guardas municipais

A comandante, tenente-coronel Mônica Puliti Dias Ferreira, do Comando de Policiamento Área Metropolitana (CPAM-12), que completou um mês no cargo, é contra o uso de armas pelas Guardas Civis Municipais (GCMs) da região. Ela aponta que a guarda tem incumbência de segurança patrimonial, não realizando a defesa da população. Em Suzano, os agentes da GCM fizeram curso de capacitação, no ano passado, para atuar com armamento.
A lei que permite porte de arma de fogo por guardas municipais foi sancionada no final de 2014 pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT). “A guarda tem a incumbência de segurança patrimonial. A função é de segurança de próprios municipais, escolas e praças. Realmente não tem necessidade de ser reativa, de andar armada”, apontou a comandante.
Para a tenente-coronel, o uso de armas de fogos tem uma responsabilidade alta e sem preparo suficiente pode ser um risco. “Andar armada tem prós e contras. Precisa estar bem treinada e saber usar. Não ter a técnica para isso pode ser um problema. Tem uma responsabilidade. Se a função dela (a guarda) não exige uso de armamento, com arma que tem poder de fogo que traz um estrago tão grande, que pode tirar uma vida, não vejo necessidade”.
As informações foram divulgadas pela comandante durante entrevista ao DS. “Não vale a pena se não tem a função que mereça ser usada. A Polícia Militar usa para defender a si e a terceiros. A guarda municipal não tem essa função, defender terceiros. A arma precisa ser usada por quem precisa usar uma arma”.
Em Suzano, os guardas passaram no ano passado por um curso de armamento proporcionado pela Polícia Federal para prepará-los. Os agentes fizeram as etapas teóricas e práticas de tiro, manuseamento de arma, defesa pessoal, entre várias outras atividades. Na gestão passada, do ex-prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB), a intenção era investir R$ 150 mil na aquisição de 20 pistolas.
Em janeiro, o atual secretário municipal de Segurança Cidadã, Fátimo Aparecido Rodrigues, afirmou que o armamento da GCM é uma das metas da pasta na gestão do prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR). Para isso, a Prefeitura está estudando o orçamento para a aquisição do armamento. De acordo com o chefe da pasta, há uma média de 30 a 40 guardas já aptos para usar estas armas.