70% dos casos de abuso à criança são de pessoas próximas à família

O Conselho Tutelar registrou, neste ano, 30% dos casos de abuso sexual observados em 2016. No ano passado, o órgão registrou 101 ocorrência, entre abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, conforme divulgado ontem pelo DS. Cerca de 70% das ocorrências são cometidas por pessoas próximas à família. A informação foi declarada pelos diretores Sonia Aparecida Silva Pimenta e Pedro Belan, responsáveis pelos Conselhos Tutelares da cidade, durante a 5ª Edição do Dia de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, comemorado, na tarde de ontem, no Teatro Municipal Doutor Armando de Ré.
Sonia conta que, no ano passado, 101 casos foram registrados, mas o número pode ser maior, uma vez que diversas vítimas não chegam a denunciar os abusos. “Pelo o que observamos, em 2017, esta situação de violação aumentou”. A diretora ressalta a importância da data de combate ao abuso e exploração sexual, comemorada ontem. “As palestras são uma forma de trabalharmos a prevenção desses casos, através das denúncias. A população deve dar garantia para procurar medidas protetivas. Se as denúncias não chegam ao Conselho, ao Ministério Público, Judiciário ou até nos postos de saúde, fica difícil alcançarmos as vítimas”.
Belan, diretor da segunda unidade do Conselho Tutelar, recentemente inaugurado na Região Norte da cidade, diz que 70% dos crimes de abuso são cometidas por pessoas próximas à família. “Estamos trabalhando para reduzir os números. Sei que é uma grande meta a ser cumprida, mas estamos focados. A porcentagem de casos é alta, diariamente recebemos relatos, dos quais 70% são cometidos por pessoas próximas à família, como pai, padrasto ou vizinho, dentro do convívio familiar. Acontece com meninas de todas as idades, de 3 a 17 anos. A violência contra meninos é baixa, mas não deixa de acontecer”.
O secretario de Assistência e Desenvolvimento Social, Claudinei Valdemar Galo, acredita que a inauguração da segunda unidade aproxima o apoio à população. “O segundo conselho dá oportunidade para que a população esteja mais próxima. A prova disso é o aumento no número de atendimentos, passamos de 700 (atendimentos) da região para 1,2 mil. Quando o conselho está perto de casa, a população automaticamente denuncia mais, e as providências são tomadas”.
EVENTO
A 5ª Edição do Dia de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em Suzano foi comemorada ontem. O evento contou a presença da primeira-dama e presidente do Fundo Social e do Serviço de Ação Social e Projetos Especiais (Saspe), Larissa Ashiuchi.
A primeira-dama reforçou que os casos de abuso têm aumentado e que a população precisa ser conscientizada. “Precisamos levar informação de como combater o crime, através de denúncias. É um direito e dever de todos tentar ajudar as vítimas que passam pela situação. Dentro da secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social há inúmeros projetos voltados às crianças e adolescentes suzanenses”. j