Latrocínios e homicídios são crimes que mais preocupam comando da PM

O subcomandante geral da Polícia Militar (PM), Mauro Ricciarelli, apontou que os crimes mais preocupantes do Alto Tietê são latrocínio e homicídio. Ele acredita que baixando estes índices, outras ocorrências mais rotineiras também cairão. Além disso, destacou a centralização do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), em São Paulo, melhorou a comunicação entre as cidades da região e consequentemente do efetivo. As informações foram divulgada no 11º aniversário do Comando de Policiamento de Área Metropolitana (CPAM-12).
“Latrocínio, com roubo seguido de morte, é um crime traumático. Homicídio também segue a mesma linha. Esses dois crimes são os mais preocupantes e que estamos lutando para baixar os índices. Isso porque além de serem de extremo perigo, delitos mais comuns também cairiam”, explicou.
De acordo com a comandante do CPAM-12, Mônica Puliti Dias Ferreira, a corporação está trabalhando com outros comandos para inibir os crimes. “Todos esses fortes delitos acontecem decorrente de Guarulhos, onde registra alto índice, que acaba atingindo a nossa região. Estamos administrando junto com o comando dessa cidade para bater de frente com essa situação”, afirmou.
Ricciareli ainda disse que a centralização do Copom na Capital e a Atividade Delegada podem auxiliar na queda desses índices. “O Copom está com profissionais que já trabalharam em todas as partes de cada região. Assim, eles aumentam o efetivo por meio da tecnologia. Em relação à Atividade Delegada, ela pretende ser ampliada sempre nas cidades. É um convênio do Estado com os municípios, dos quais do Alto Tietê, sempre mostraram necessidade nessa atividade”, completou.