Endereço: www.diariodesuzano.com.br/noticia.php?id=261467

Data da impressão: 01 de setembro/2014

01 de setembro/2014

Ed.9918

Cidade ganha mais uma obra de arte ao ar livre localizada na área central

Diário de Suzano ed.: 9097 - 13 de janeiro de 2012



Suzano conta agora com mais uma obra de arte ao ar livre. Quatro painéis com fotos antigas do município foram pintados por artistas plásticos suzanenses na parede de um edifício que abrigará salas comerciais, localizado na esquina das ruas General Francisco Glicério e Konoe Endo, na região central. O trabalho é parte do Projeto Arte Pública, iniciativa da Prefeitura de Suzano, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, para deixar a cidade mais alegre e bonita -o que reduz as áreas degradadas e resulta em mais qualidade de vida para a população.
Com fundo preto e pinturas em preto e branco, que imitam fotografias antigas, os painéis chamam a atenção de quem circula a pé ou de carro pela Glicério, devido às suas dimensões gigantescas. No prédio de dez andares, a parede tem 24 metros de altura e cada painel retratado (a antiga estação de trem de Suzano, a Igreja do Baruel, o Templo Budista Nambei Shingonshu Daigozam Jomyoji e a fachada da Prefeitura) tem 8 metros de largura por 4 metros de altura.
Foram necessários cerca de três meses, entre o planejamento e a execução, para que os artistas Aline Baliberdin; José Carlos de Lima, o Raça; Policarpo Ribeiro, o Poli; e Roberto de Lima Dorta, o Betto, o concluíssem. Eles fazem parte da Associação dos Artistas Plásticos de Suzano (Asap), que foi indicada pela Prefeitura à construtora para a confecção dos painéis.
Para realizar o trabalho, eles passaram até por treinamento em altura, já que foi necessária a utilização de dois balancins (andaimes pendulares), que os levava ao topo do prédio. Todos utilizaram equipamentos de segurança e capacete para a execução da obra.
"Este foi o trabalho mais importante que já fiz", afirmou o artista plástico Betto, que teve de superar o medo de altura para pintar os painéis a 24 metros do solo.
"Para mim, foi um grande desafio. Tiveram de ter muita paciência comigo, até eu me adaptar".
Aline Baliberdin destacou a colaboração e participação dos operários do empreendimento imobiliário no trabalho dos artistas plásticos. "Eles nos ajudaram neste processo e se sensibilizaram com isso. Um deles até levou a família para ver os painéis. Isso mostra como a arte pode influenciar a rotina das pessoas", disse.
O secretário municipal de Cultura, Walmir Pinto, disse que foi o proprietário da G2 Construtora quem o procurou para que artistas da cidade desenvolvessem os painéis na parede do edifício, que em breve abrigará o Office Suzano, empreendimento de salas comerciais.
"Esta é uma forma de se valorizar os artistas da cidade e de gerar trabalho e renda a eles. À medida que houver mais procura da iniciativa privada, mais artistas poderão ser contemplados", disse.
A G2 Construtora é a segunda empresa a aderir ao Arte Pública. A primeira foi o Banco Itaú, cujo muro que circunda a agência da Praça Cidade das Flores recebeu painéis que contam a história da arte (da arte rupestre à arte contemporânea).
Iniciado em julho de 2010, o Arte Pública já coloriu praças, pontos de ônibus e prédios públicos municipais, como a Praça Cidade das Flores, o Largo da Feira, o Parque Municipal Max Feffer e o Paço Municipal Firmino José da Costa.
"A ideia é oferecer a arte para quem não tem acesso a museus e outros espaços fechados em que geralmente há exposições", explica o secretário. "Além de democratizar o acesso, é uma forma de embelezar a cidade e torná-la mais humana", completa Walmir.





Enquete

Você é a favor da elevação de Suzano à estância turística?

Canais rede ds

Horóscopo

Publicidade

Colunas do dia

O segredo

É possível sentir alegria quando enfrentamos dias...

Rede DS de Comunicação - Todos os direitos reservados