Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 30 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/10/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC MULTI 2020
PMMC OUT ROSA
PMMC COVID VERDE
Pms Coronavírus - Fase Verde

Adele lança hoje álbum ‘25’ em busca de emplacar novos recordes

20 NOV 2015 - 07h00

Adele está de volta. Tão boa ou ainda melhor do que antes. Com as risadas e os palavrões que lhe são característicos, ela divertiu e emocionou a plateia que ocupou quase todos os seis mil lugares do Radio City Music Hall, em Nova York, terça-feira, à noite, no seu primeiro show depois de quatro anos. Antes de cantar a terceira música, ela se livrou dos sapatos de salto e passou a falar com o público entre cada canção, tão descontraída como se estivesse com amigos na cozinha de casa.

"Eu estava morrendo de vontade de fazer um (palavrão) show", soltou a cantora e compositora inglesa, batendo os pés descalços no piso do palco para acompanhar a expressão de contentamento pelo início de uma nova fase na carreira. Hoje, será o lançamento internacional de “25”, seu terceiro álbum de estúdio.

Nos Estados Unidos, “Hello”, o primeiro single desse novo trabalho, está há três semanas consecutivas no primeiro lugar em vendas, execução em rádios e na internet, segundo a revista americana Billboard. Ao que parece, 25 tem tudo para repetir os recordes de “21” que, segundo a Federação Internacional da Indústria Fonográfica, foi o álbum mais vendido no mundo na última década.

Reconciliação. Nos últimos quatro anos, período em que ela sumiu da mídia, a vida pessoal de Adele mudou bastante. E 25 reflete isso, com músicas que falam muito de saudade. De 2011 para cá, a moça que ganhou coleções de prêmios cantando suas composições sobre a dor de ter tomado um grande fora do namorado conheceu o empresário Simon Konecki (presidente da organização filantrópica Drop4Drop, dedicada a fornecer água para populações de países em desenvolvimento), com quem teve seu primeiro filho. Em entrevistas recentes, é ao menino que ela atribui a força com que está de volta.

Em meio a rumores de que não poderia mais cantar, em novembro de 2011 ela passou por cirurgia para a retirada de um pólipo nas cordas vocais - problema que acabou com a turnê de “21”. Três meses depois de viver um regime severo de silêncio, ela cantou em público apenas uma música daquele disco na cerimônia de entrega do Grammy, de onde levou seis prêmios. A última vez que a viram num palco foi em fevereiro de 2013, quando ganhou o Oscar pela música-tema de Skyfall, 23º filme da série James Bond

Se “21” foi um disco sobre rompimento, 25 é sobre reconciliação, como define sua autora. Hello, a música com que ela abriu o show no Radio City, pode ser entendida como um fazer as pazes.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias