Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 22 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/11/2019
Pmmc Refis 2019
PMMC MIGO
PMMC NOVEMBRO AZUL
Pmmc maternidade
PMMC SEGURANÇA

‘Agora a gente pode almoçar em família na Globo’, brinca filha de Flávia Alessandra

29 AGO 2015 - 08h00

Aos 15 anos, Giulia Costa já viu e ouviu sobre teledramaturgia até mais que muito adulto. É que a adolescente, que acaba de estrear em "Malhação: Seu Lugar no Mundo", é filha da atriz Flávia Alessandra e do diretor Marcos Paulo (1951-2012) Para completar, é enteada do ator e apresentador Otaviano Costa.

Nem por isso, entretanto, segundo ela, seu caminho para a arte foi facilitado. Ela precisou batalhar - e muito - para conseguir o papel de Lívia (coincidentemente o mesmo nome de três personagens que sua mãe interpretou em novelas). Foram vários testes até receber sinal verde para interpretar a boa moça que cursa o primeiro ano do ensino médio na trama global.

Você cresceu vendo e ouvindo falar sobre televisão. Tinha o sonho de ser atriz há muito tempo?

Giulia Costa - Sim, desde pequena eu já falava para a minha mãe que queria ser atriz. Brincava de fazer peças de teatro em casa com as minhas primas. Mas a minha mãe queria esperar. Ela quis que eu fizesse teatro, até para ver se eu tinha vocação. Com sete anos, comecei a fazer cursos. Com 11 anos, fiz Tablado e, depois, vídeo, para ter mais intimidade com a câmera.

Como surgiu o papel nessa temporada de “Malhação”?

Giulia- Fiz muitos testes antes de conseguir esse papel. Só para “Malhação” foram uns quatro ou cinco. Recebi muitos nãos. Eu chegava perto em vários trabalhos, mas, no final, não rolava.

Como foi a comemoração em casa?

Giulia- Eles comemoraram tanto quanto eu. Falaram que agora a gente pode almoçar em família no Projac (risos). Começaram a fazer planos. A minha mãe vai gravar também a próxima novela das seis. Vai ser um intensivo da família Costa na televisão. Vamos praticamente morar na emissora.

Sua mãe sempre te apoiou para seguir a carreira de atriz?

Giulia - Ela me apoia muito e ficou muito feliz quando consegui o papel. Acredito que, no início, ela tenha tido uma sensação de “já vi essa história” (risos). A minha avó é quem geralmente me acompanha nas gravações e ela mesma diz: “Antes eu vinha com a Flavinha e agora é você. Que delícia!”

Ela te dá dicas e te ajuda?

Giulia - Sempre que dá, ela bate texto comigo. Quando ela não pode é o Otaviano que faz isso. Os dois me dão dicas e estão me ajudando muito. Eu brinco que tenho dois preparadores maravilhosos em casa.

Mas você já tem o seu próprio amuleto para a sua estreia...

Giulia - Quando contei para a minha mãe que ia fazer “Malhação” e que a personagem se chamava Lívia, ela disse: Que maravilha! Eu já fiz três personagens com esse nome. Então, esse vai ser o meu amuleto da sorte.

E quando seu pai era vivo, conversavam sobre você ser atriz?

Giulia - Até então, tinha feito apenas peças e testes. Ainda não tinha feito nada na TV. Ele viu a minha primeira peça profissional. Foi ao ensaio e disse como eu teria que fazer, mas também disse que estava ótimo. Ficava cheio de orgulho de mim. Meu pai falava que, se eu quisesse seguir na carreira, teria que estudar muito. Dizia para fazer vários cursos para me aprofundar Tenho certeza de que ele deve estar muito orgulhoso agora.

O mais interessante é que você veio parar justamente em "Malhação", novelinha da qual ele foi diretor de núcleo durante muito tempo. Como foi isso?

Giulia - É uma situação engraçada. Ando por aqui pela Globo e sempre tem tantas lembranças. Estou trabalhando com pessoas que o conheciam. A Solange (Couto) falou para mim: Eu era tão amiga do seu pai! Ele era um amor! As pessoas dizem que sentem saudade dele e eu escuto histórias que não conhecia até então. É bom demais. Ele está sempre presente.

Como concilia a rotina de gravações com os estudos?

Giulia - Estou no ensino médio. Tive que deixar de lado algumas atividades extras. Mas a gente sempre dá um jeitinho quando quer Quando vejo que tenho muita gravação, abro mão da academia. Sempre que tenho um tempinho no estúdio entre uma gravação e outra eu aproveito, faço os deveres e estudo. Em semana de prova, levo todo o meu material para a Globo. É difícil, mas estou vivendo um sonho e quero realizar isso.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias