Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 31 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/10/2020
Pms Coronavírus - Fase Verde
PMMC COVID VERDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo Outubro

Atriz Malu Galli de ‘Totalmente Demais’ : "Minha alma é bagaceira"

22 NOV 2015 - 07h00

Nem sempre os atores podem escolher seus papéis na TV. Porém, para Malu Galli, dificilmente outra personagem teria a importância que a batalhadora Rosângela de “Totalmente Demais” tem atualmente em sua carreira. Acostumada a interpretar tipos mais sofisticados, a atriz jura que, até ser escalada para a novela das 19 horas da Globo, não tinha percebido que estava na hora de mostrar seu lado mais popular.

“O bacana é que eu nem pensava nisso e, de repente, veio a chance de mudar uma imagem errada que criaram. A pior coisa que pode acontecer para um ator é ser colocado em uma prateleira, porque é difícil sair dali”, pondera.

Rosângela é mãe de quatro filhos, entre eles o mocinho da trama, Jonatas (Felipe Simas). Ela acha que ele trabalha em um escritório e, com o salário, ajuda nas despesas da família. Mas a verdade é que o menino foi demitido há anos e, para não deixar faltar nada à mãe e aos irmãos mais novos, vende balas em sinais de trânsito, faz faxina em um bar e é flanelinha no Centro do Rio de Janeiro. Entretanto, a verdade vem à tona já nos próximos capítulos.

A Rosângela é sua primeira personagem mais popular na TV. Sentia falta de uma oportunidade como essa?

Malu Galli - Olha, sinceramente, eu nunca tinha prestado atenção nisso. Agora que apareceu esse papel, percebo que, de fato, construí uma imagem um pouco diferente da real na televisão. E eu não tinha essa dimensão por conta de tudo que já fiz no teatro. Então, não posso dizer que sentia falta, mas é muito bom quebrar esse estigma. E foi até um ponto que o (diretor) Luiz Henrique Rios sinalizou quando conversou comigo sobre a personagem.

E o que tem achado dessa experiência?

Malu - Artisticamente, interessantíssimo. As pessoas pensam que eu sou a mulher chique, mas a minha alma é bagaceira. No meu dia a dia existe um lado muito popular que o público da televisão ainda não conhecia. Eu não sou rica e nem nunca fui. Não sou a aristocrata brincando de fazer a pobre.

Desde seu primeiro trabalho mais marcante na TV, a minissérie “Queridos Amigos”, você está constantemente no ar. Não pensa em conseguir intervalos maiores entre um papel e outro?

Malu - Imagina! “Sete Vidas” acabou em julho e eu só comecei a gravar “Totalmente Demais” há poucas semanas, em outubro. Tive bastante tempo para me dedicar às questões particulares. Comecei a fazer televisão com 36 anos; antes eram só participações.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias