Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

Atriz sofre ataques racistas em rede social

08 DEZ 2015 - 07h00

A atriz da TV Globo Sheron Menezzes denunciou, na madrugada de ontem, por meio das redes sociais, que tem sofrido ataques racistas na sua página oficial no Facebook. A artista disse que vai tomar providências legais para identificar perfis falsos. Em uma foto com o noivo, Saulo Bernard, postada na sexta-feira, um usuário fez uma montagem da atriz com rosto de macaco e a legenda "Qualquer semelhança é mera coincidência".

Cinco minutos antes de postar a montagem, o mesmo usuário havia comentado. "Bem que diziam que macaco é igual humano, sabem até tirar selfie".

Sheron usou a rede social para denunciar os ataques. "Desprezíveis racistas, não adianta entrar na minha página e escrever absurdos, xingamentos e agressões, pois vão ter que engolir a mim e a tantas outras pessoas negras em nosso País", escreveu.

A artista declarou que "já esperava" por comentários racistas após os recentes ataques virtuais contra outras mulheres negras, como as atrizes Taís Araújo e Cris Vianna, além da jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju.

"Não adianta colocar uma máscara de macaco no meu rosto ou tentar me ofender porque isto não me atinge! Fui treinada desde criança, e sei o meu valor! Mas atinge milhões de pessoas no Brasil que sofrem essa discriminação todos os dias! E é por elas que resolvi me manifestar", afirmou Sheron.

A atriz disse que vai recorrer à Polícia Federal para identificar os usuários falsos. "Racismo e intolerância mataram e continuam matando milhares de pessoas, e quem pratica esse crime deve ir para o seu lugar, a cadeia."A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga 30 perfis falsos do Facebook para tentar identificar os autores das ofensas contra Taís, ocorridas no dia 31 de outubro.

Quem for identificado será indiciado por injúria racial. A punição pode chegar a quatro anos de prisão por ter sido a internet o meio para difusão da ofensa. Se for comprovada uma articulação entre os ofensores, pode ficar caracterizado também o crime de formação de quadrilha.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias