Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 28 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
ÚNICCO POÁ
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE
Pmmc Sarampo

‘O Regresso’ é o grande vencedor do Globo de Ouro

12 JAN 2016 - 07h00

Depois de ganhar o Globo de Ouro de melhor roteiro no ano passado por “Birdman” e perder o de direção para o Richard Linklater de Boyhood, o mexicano Alejandro González-Iñárritu ganhou nesta madrugada o prêmio da Associação dos Correspondentes Estrangeiros de Hollywood por “O Regresso”. O western sobre o homem que busca vingança contra aquele que o deixou para morrer (e matou seu filho) é mais forte do que “Birdman”, que tem seus admiradores. “O Regresso” também venceu nas categorias de filme e ator. Leonardo DiCaprio é simplesmente poderoso no papel.

O ator brasileiro Wagner Moura que deu vida de forma impressionante ao narcotraficante Pablo Escobar na série Narcos, do Netflix, por sua vez, não foi o escolhido pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood como melhor ator em série dramática, na cerimônia. O prêmio ficou mesmo para Jon Hamm, o ator que interpretou o polêmico, sacana e ainda assim adorável Don Draper em Mad Men, série que chegou ao fim em 2015.

Houve um momento, pouco antes da uma da manhã de ontem em que o apresentador Ricky Gervais expressou o que passava pela mente do público que assistia à premiação do Globo de Ouro na TV. Não vai terminar nunca? Precisa ser tão comprida (a “festa”)? Quando ele disse isso, a cerimônia do Globo de Ouro, iniciada às 23 horas, já durava quase duas horas. Os correspondentes estrangeiros dividem as indicações de cinema entre “drama” e “comédia” ou “musical”. Alguns acertos foram indiscutíveis. Kate Winslet foi a melhor coadjuvante por Steve Jobs. “Divertida Mente”, da Pixar, venceu como melhor animação. E Quentin Tarantino, ao receber o prêmio de trilha para o compositor de seu “Os Oito Odiados” - Ennio Morricone - cravou. Morricone é seu compositor preferido. Não de cinema. Mozart, Beethoven, Schubert - Tarantino colocou-o no plano desses “caras”. "Grazie, Ennio."

Não houve dúvida, o inglês Ricky Gervais foi um apresentador hilário. Desde a abertura, oito minutos em que disparou piadas como tiros de uma metralhadora, ele riu de tudo e todos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias