Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 23 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

80% da produção agrícola de Suzano abastece Grande ABC e Zona Leste

17 JUL 2016 - 08h01

Ao todo, 80% da produção de hortaliças de Suzano abastece as cidades do Grande ABC - com 40% - e a Zona Leste da Capital - com 40%. Em menor escala, a cidade também fornece 20% dos produtos à Baixada Santista. O principal produto cultivado no município é a alface crespa. Segundo o presidente do Sindicato Rural, Ricardo Sato, o item corresponde a 60% de toda a lavoura de hortaliças.

Sato explicou que o município concentra uma área de 23% de todo o território suzanense para o cultivo de produtos, como hortaliças, macarias, verduras, entre outros. No entanto, as produções que saem da cidade atingem expressivos patamares. Isto porque, o município produz anualmente quase 3,5 mil toneladas. O número divulgado se refere ao período de 2015. "Para se ter uma ideia, em termos de grandeza física, o município encaminha 150 mil caixas a Ceagesp". Ele disse que a produção de legumes das lavouras atinge ainda a aproximadamente 900 toneladas.

Também foi relatado que o setor rural do município teve um 'boom' no início do ano, com as altas temperaturas e chuvas torrenciais que ajudaram a produção de diversos produtos, porém enfraqueceu ao decorrer dos meses seguintes. Para Sato, a explicação é possível ser observada em dois fatores: as geadas dos meses de maio e junho e a atual crise política que 'freou' e desestimulou agricultores.

"No começo do ano teve este aumento da produção. Depois teve a queda brusca de temperatura causando as geadas, que prejudicaram. No entanto, o enfraquecimento da produção acabou sendo causada ainda por causa do aumento de desempregos e a elevação dos preços de itens necessários, assim reduzindo a procura pelas hortaliças.", acrescentou.

Sato contou que os agricultores no município têm uma expectativa de melhora na economia brasileira, sobretudo, deverão manter o atual ritmo de produção, que foi desacelerada. "Eles acabaram se precavendo, e estão aguardando. Enfim, são todos os setores do País".

Segundo o presidente do órgão, um balanço prévio da produção deste ano ainda não pode ser divulgado, já que o levantamento é feito anualmente durante o final da primavera e o início do verão.

ALTO TIETÊ

Em relação aos dados de toda a região, Sato disse que o cenário é o mesmo: de estabilização. Ele contou também que o Alto Tietê produz anualmente quase 200 mil toneladas de itens, entre hortaliças e outros segmentos. "Nossa região produz muitos produtos. Mas, a desaceleração da produção é a mesma do setor daqui de Suzano", finalizou.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias