Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 21 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

ACE vai buscar alternativas para ajudar comércios prejudicados

01 ABR 2016 - 08h00

A Associação Comercial e Empresarial (ACE) de Suzano vai buscar alternativas, junto à Prefeitura, para melhorar o movimento de comércios do Parque Maria Helena e da Rua Benjamin Constant. Uma reunião foi marcada para ontem, porém foi cancelada por falta de quórum. Segundo o presidente da ACE, Neder Romanos, um novo encontro deve ser marcado daqui a 10 dias no Parque Maria Helena, uma vez que os comerciantes mais afetados estão nesta região. O local ainda não foi definido.

Romanos explicou que o encontro foi marcado depois que comerciantes de ambas regiões citaram perdas consideráveis de lucros e movimento. Ele classificou que os mais prejudicados foram do Parque Maria Helena, uma vez que boa parte do movimento era causado pela estação provisória. “Quando eles vieram até nós, decidimos convocá-los para uma reunião e, juntos, buscar algumas alternativas”, disse.

O presidente da entidade ainda frisou que deve haver uma mobilização maior dos comerciantes, pois não há como obter melhorias com poucas pessoas. “Não importa que seja associado ou não. Para buscarmos algo precisamos de mais comerciantes, visto que assim todos entraremos num consenso”, citou.

“Já que existe este impedimento deles virem aqui, o que podemos fazer é marcar uma reunião no Shopping Popular, por exemplo. O que queremos é buscar melhorias para todos”, cogitou o diretor de marketing da ACE, Rodrigo Ashiuchi.

Romanos ainda enfatizou que o pedido terá dificuldade para ser resolvido, uma vez que não depende exclusivamente do Executivo e envolve o governo estadual. “Falamos que deve haver um número grande de comerciante porque será uma solicitação difícil, uma vez que o prejuízo acabou sendo causado por uma obra do Estado”.

Para a comerciante de artigos religiosos Silvana do Carmo de Moraes, um impedimento da frequência de comerciante foi causada por dois motivos, sendo o primeiro a falta de comunicação e o segundo e, principal, o medo de deixar o comércio fechado em uma época de baixo movimento. “Teve este problema da comunicação e, disso, me prontifico a mudar depois. Porém outro problema foi que muitos estão com medo de vir, visto que vão fechar os estabelecimentos e perder potenciais clientes”, estimou.

Já o comerciante Wagner Bianchi afirmou que o fechamento da estação provisória acarretou na queda de 30%, de lucros e movimento. “Quando a Estação Suzano mudou, de imediato perdemos. A nossa solicitação aqui hoje é que pelo menos seja aberto um acesso à região central. Isso vai pelo menos aumentar o motivo”.

Ele ainda citou um comerciante vizinho, que estima fechar o mercado nos próximos meses. “Quando ele abriu, a estação estava prestes a fechar. Agora ele fica com medo do que pode acontecer porque não tem movimento mais”, frisou.

Conforme publicado no DS, os estabelecimento das duas regiões tiveram uma queda de 50% nas vendas.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias