Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 30 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/09/2020
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
SOUZA ARAUJO

Administração de pátios deve ser passada aos municípios

19 MAR 2016 - 08h00

As cidades do Alto Tietê poderão passar a administrar os pátios de veículos apreendidos nos municípios. A medida é uma proposta do Estado, por meio do Departamento de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran-SP), para a implantação do pátio municipalizado. A informação foi divulgada ontem na reunião do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), realizada em Suzano, com representantes do órgão de trânsito. Com o convênio firmado, as cidades também passarão a ser responsáveis pelos leilões de veículos. Atualmente, a região tem pátios administrados pelas prefeituras e pelo Estado.

Dessa forma, os veículos apreendidos por autuações administrativas, que são de responsabilidade do Detran, passarão a ser atendidos pelas administrações municipais. A decisão de se conveniar é opcional e as Prefeituras também podem optar por abrir licitações para contratar empresas que gerenciem os espaços. A medida é positiva para os moradores que tem seus carros apreendidos, uma vez que seus veículos serão guardados na cidade. Além disso, as Prefeituras prevêem a queda da superlotação dos pátios com a autonomia para abrir leilões e vender os veículos apreendidos.

Durante a reunião, o assunto sobre a superlotação dos pátios foi debatido pelo diretor-presidente do Detran-SP, Daniel Annemberg, junto dos secretários e representantes do municípios da região. De acordo com ele, com a diminuição do número de veículos do pátio, além do fácil acesso a eles, os policias militares não recearão realizar apreensões. "Com esta medida, os policiais se sentirão mais a vontade de fazer as apreensões", comentou.

Além disso, o diretor falou sobre a dificuldade com os veículos apreendidos por autuações judiciais. "Esses são os que mais atrapalham. Não são da competência do Detran e sim da Secretaria de Segurança Pública. O processo até que o veículo deixe de ter problemas judiciais demora e antes disso ele não pode ser retirado do local", explicou.

O coordenador da Câmara Técnica de Mobilidade Urbana do Condemat, Nobuo Aoki Xiol, também falou sobre o assunto. "Os que não quiserem o convênio não vão receber veículos apreendidos pelo Estado. Dessa forma, eles pegam algum município conveniado que aceita receber de outras cidades. Se não houver essa possibilidade, vão fazer uma licitação para ter um pátio que cuide desses municípios que sobrarem", comentou o assunto.

PROJETOS EDUCACIONAIS

Durante a reunião, o diretor do Educação para o Trânsito, do Detran-SP, Maurício Haruo Koshiyama, presente no encontro, falou sobre os projetos educacionais do órgão que são aplicadas na região. Entre eles está o projeto Clube do Bem-te-vi, que é desenvolvido pela Diretoria de Educação para o Trânsito e Fiscalização do Detran-SP em parceria com a Polícia Militar do Estado de São Paulo.

O programa tem a finalidade pedagógica de educar para o trânsito as crianças do Estado de São Paulo, matriculadas nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, em atendimento às solicitações dos Municípios. "Uma equipe de policiais fardados faz palestras nas escolas para orientar as crianças sobre segurança no trânsito", explicou Maurício, que pontuou que os municípios podem solicitar por meio de ofício ao Detran-SP a participação no projeto.

Outro projeto que já envolve as cidades de Mogi das Cruzes, Suzano, Salesópolis e Poá é o Criança Segura no Trânsito, que funciona como um curso de Ensino à Distancia (EAD) para professores da rede pública de ensino. O projeto promove a capacitação e formação de multiplicadores para a prevenção de acidentes de trânsito com crianças e adolescentes de até 14 anos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias