Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 11 de dezembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 10/12/2019
COLÉGIO PLENITUDE
Evatânia Psicopedagoga
Denúncia

Advogada diz ter provas do cartório e da Receita de que Lisandro é presidente de ONG

Entre as provas apresentadas pela advogada, ela conta que inseriu o CNPJ da ONG PAS no site da Receita Federal, e o site mostrou que Lisandro é o presidente da ONG

Por Fernando Barreto - de Suzano29 NOV 2019 - 06h32
Advogada fez denúncia na Câmara contra o vereadorFoto: Regiane Bento/DS
A advogada Ariana Anari Gil, denunciante do novo processo contra o vereador Lisandro Frederico (PSD), afirmou, nesta quinta-feira (28), ter provas da Receita Federal e do Cartório de Registros de que Lisandro era presidente da ONG PAS durante o mandato. 
 
A advogada exige transparência do parlamentar, que na opinião dela, apenas desqualifica autoridades.
"Ele (Lisandro) se preocupa em desqualificar o trabalho do delegado, dos cartórios, da Receita Federal, mas não se preocupa em apresentar provas que comprovem sua inocência", explicou.
 
Entre as provas apresentadas pela advogada, ela conta que inseriu o CNPJ da ONG PAS no site da Receita Federal, e o site mostrou que Lisandro é o presidente da ONG. Além disso, no inquérito policial e no Cartório de Registros de Imóveis de Suzano, consta que o presidente da ONG Pas é Lisandro Frederico.
 
Sobre essa acusação - ser presidente da ONG enquanto exerce o mandato - Lisandro sempre negou. Ariana afirma que até o dia 1º de agosto desse ano o presidente era o vereador. Nessa data foi eleito um novo responsável para o cargo.
"Não existe debate sobre os fatos. Quer dizer que a Receita Federal, o delegado, o cartório estão mentindo? Apenas o vereador fala a verdade?", indagou a advogada.
 
Ariana cita também uma foto presente em uma rede social, que mostra Lisandro, junto da tesoureira da ONG PAS, na Câmara Municipal. A tesoureira é a mesma que acusou Lisandro de "rachadinha", e que o vereador alega não conhecer.
Entretanto, a advogada afirma, em mais de uma oportunidade, que apoiou Lisandro na campanha em 2016.
 
Na sessão realizada na última quarta-feira (27), onde foi protocolada a nova denúncia e formada a CP para apurar o caso, o vereador Lisandro rebateu a acusação de Ariana, alegando que ela não apresentou provas, e questionou os termos usados pela advogada no processo.
"Em nenhum momento ela comprovou nada. Usa muitos termos como 'em tese' e 'tudo indica', mas nada que comprove", disse.
 
Sobre isso, Ariana se defendeu dizendo que "em um processo não se afirma nada, apenas apresentamos as provas e o juiz julga o caso".
 
Executivo
 
Ariana frisou que ela é advogada na esfera privada e não possui vínculos com a gestão administrativa da Prefeitura. A advogada cita processos contra a Prefeitura. 
"Existe uma ação popular minha, protocolada em janeiro do ano passado, onde peço à Prefeitura o recolhimento de animais de rua. Há também outra ação, desse ano, onde exijo da Prefeitura campanhas de conscientização viral", explicou.
 
Ariana informa que, além das duas ações, comunicou o Ministério Público (MP) sobre o início de casos da doença Leishmaniose em Suzano.
 
Próximos passos
 
Caso condenado em uma ou em ambas as Comissões Processantes, Lisandro ainda pode recorrer à esfera Judiciária, a fim de reverter a situação.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias