Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 13 de abril de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 11/04/2021
CENTRO MÉDICO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
São Paulo Secretaria da Educação
Magic City

Alto Tietê teme perder eficácia de vacina se 2ªdose não for aplicada no prazo

Consórcio não sabe se vai receber mais doses da vacina neste final de semana; enquanto isso, prazo vai acabando

Por Daniel Marques - de Suzano26 FEV 2021 - 05h00
Expectativa do Alto Tietê é de conseguir mais doses para evitar perda de eficáciaFoto: Regiane Bento/DS
O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) teme perder a eficácia da primeira dose da vacina que já foi aplicada na população. 
 
Isso porque não há garantia de que haverá doses suficientes para realizar a 2ª etapa da campanha em quem já foi vacinado pela primeira vez.
 
Previsão
 
A previsão do Condemat, com base no que disse o Grupo de Vigilância Epidemiológica, é de que novas doses cheguem neste final de semana ao Alto Tietê. Só que nenhum deles tem certeza de que isso realmente vai acontecer. 
 
A não confirmação deixa as autoridades do consórcio bastante preocupadas.
 
Nas cidades da região, a vacinação começou em 20 de janeiro com trabalhadores da área da saúde e com idosos.
 
O prazo da aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac, que é do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech, é de até 28 dias (ou quatro semanas) após a aplicação da primeira dose.
 
Sem garantias
 
As prefeituras do Alto Tietê aplicaram a primeira dose da vacina, mas ainda não têm certeza se conseguirão aplicar a segunda dose sem que a primeira perca o efeito nas pessoas.
 
Só que no início de janeiro, o Condemat assinou uma "carta de intenção" para ter a "possibilidade" de adquirir 300 mil vacinas do Butantan. 
 
Na ocasião, ocorreu também a posse de Rodrigo Ashiuchi (PL), prefeito de Suzano, como presidente do consórcio.
 
Não havia garantia de que essas 300 mil vacinas chegariam em um curto período de tempo. 
 
Tratava-se apenas de uma "carta de intenção". Porém, havia uma ideia bem clara do Condemat: a de vacinar 150 mil pessoas no Alto Tietê com as 300 mil doses (primeira e segunda dose em cada uma das 150 mil pessoas). 
 
Justificativa
 
A justificativa era de manter as doses como uma "retaguarda", porque já não havia confiança no Estado por parte dos prefeitos da região. 
 
Mesmo com a promessa de chegada de mais vacinas, o entendimento era de que deveria haver uma reserva. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias