Envie seu vídeo(11) 4745-6900
quinta 22 de abril de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/04/2021
Cazarini
Quality Admistração de Condomínios
CHECK UP - PÓS COVID
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Ameaça e lesão corporal lideram registros na Delegacia da Mulher

14 AGO 2016 - 08h00

Os crimes de ameaça e lesão corporal dolosa (quando há a intenção) lideraram os boletins de ocorrência registrados na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Suzano. Em um ano, 2,6 mil mulheres procuraram ajuda (leia mais na matéria abaixo). A delegacia completou, na semana passada, um ano de atendimento, e desde que começou suas atividades foram feitos 1.174 registros de crimes. Destes, 529 referentes a ameaças e 465 a lesão corporal. O que significa 45,05% e 39,60%, respectivamente. Os outros 180 casos são relacionados aos crimes de calúnia e difamação, estupro e tentativa de homicídio. Em um ano de atuação, a DDM não registrou casos de homicídios.

A delegada responsável pela DDM de Suzano, Silmara Marcelino, destaca como positivo a atuação da delegacia, porém destaca a preocupação com o número apresentado em relação a violência contra a mulher. "Os números mostram que as mulheres têm procurado e buscado atendimento e isso é bom, pois dessa forma o ciclo de violência pode ser cessado. Porém, eles mostram também que ainda há muita incidência de crimes contra a mulher. Ainda há muitas pessoas que acham isso normal, e esse pensamento que precisa ser mudado. A situação de violência não pode ser encarada como algo normal", disse.

Neste ano, de janeiro até a primeira semana de agosto, os delitos de ameaça e lesão corporal resultaram em um total de 581 casos. Sendo 314 por ameaça e 267 por lesão corporal. Os números significam 46,38% e 39,44%, respectivamente, do total de registros da DDM neste mesmo período que foram de 677. Os casos de calúnia e difamação foram 63; de estupro foram 30 e houve ainda mais três registros de tentativa de homicídio.

Já em 2015, de agosto a dezembro, foram registrados 497 crimes contra a mulher. Destes, 215 referentes a ameaças; 198 a lesão corporal dolosa; 54 sobre calúnia e difamação; 29 casos de estupro e uma tentativa de homicídio. Nos últimos 12 meses, ainda foram executados 15 flagrantes.

"Os dados apresentados são consideráveis, levando em conta que se trata de uma delegacia especializada, que trata de delitos específicos. Ainda há muita violência, mas as mulheres estão mais informadas em relação aos seus direitos e também da existência da delegacia e isso contribuirá para combatermos essas ações", finalizou a delegada.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias