Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 24 de janeiro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/01/2021
GOLDSTAR
CENTRO MÉDICO CLUBE DS  - OFTALMOLOGIA
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Cidades

Animais abandonados em frente à estação são adotados

Por Matheus Cruz - de Suzano24 NOV 2020 - 18h00
Animais abandonados em frente à estação são adotadosFoto: Regiane Bento/Divulgação
A situação dos animais abandonados no entorno da Estação de Suzano foi resolvida, ao menos momentaneamente. Passageiros e comerciantes que trabalham próximo ao local, relatam que não vêem mais os cachorros que ficavam todos os dias nas portas dos estabelecimentos e no entorno da estação. A Organização Não Governamental (ONG) Amparo Animal está atuando no local junto à comerciantes da região para resolver o problema.
 
Segundo a vendedora que trabalha em frente à estação, Elaine Aparecida, 41, os animais estavam sendo ameaçados. “Eles ficavam deitados no chão o tempo todo, além de atrapalhar a circulação dos pedestres, eram ameaçados de serem agredidos. Mas eles eram muito amorosos e calmos, quem trabalha aqui no entorno se organizava para ajudar, e já temos resultados positivos”, comenta. 
 
Um dos resultados é o caso do vendedor ambulante Robson Domingos, 41, que chegou a adotar um dos cachorros. “Primeiro começamos a cuidar por conta própria, um chegava com uma roupinha e outro com um pouco de ração, até que os cachorros criaram um vínculo mais próximo. Até que eu acabei adotando um deles, porque se ficasse na rua acabaria morrendo”, relata o ambulante.
 
Segundo a ONG Amparo Animal, durante a pandemia foram realizadas ações em parceria com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que ajudou nas adoções. “Fizemos tratamento estético de banho e tosa e em seguida tiramos fotos para que fossem postadas nas redes sociais. Com essa ação, conseguimos doar 14 animais que viviam na estação, um deles estava na rua há 6 anos e hoje vive protegido com a ONG”, explica a presidente da ONG, Francine Ferri. Para manter a situação no controle, os comerciantes locais já sabem o que fazer ao encontrarem um cachorro abandonado; “Temos um grupo no Whatsapp com cerca de 100 pessoas, sempre que aparece algum cachorro novo, a gente já manda para ver quem tem interesse em adotar, isso tem funcionado muito bem”, completou o vendedor Robson.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias