Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ

Animais silvestres são apreendidos pela polícia ambiental após tentativa de venda em grupo virtual

07 MAI 2016 - 08h01

A venda pela internet de um casal de saguis foi parar na Delegacia de Meio Ambiente de Mogi das Cruzes. O crime foi denunciado pela Organização Não-Governamental (ONG) Projeto Adote Suzano (PAS). O grupo percebeu que havia venda em um grupo nas redes sociais da cidade.

O caso foi encaminhado à Delegacia de Investigação de Infrações e Crimes contra o Meio Ambiente (Dicma) de Mogi das Cruzes. Os investigadores negociaram a compra dos animais diretamente com os vendedores que foram autuados em flagrante no momento da entrega da encomenda.

Um casal de jovens de Itaquaquecetuba foram os responsáveis pelo crime. Eles serão enquadrados no artigo 29 da lei ambiental 9605/98. "Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão (...)". A pena prevista para esse tipo de crime é de 6 meses a 1 ano e multa. Os jovens foram detidos, prestaram depoimento, assinaram um Termo Circunstanciado e aguardarão o processo em liberdade.

Os animais foram apreendidos pela polícia e serão encaminhados para o Centro de Recuperação de Animais Silvestres (Cras Pet) localizado no Parque Ecológico do Tietê.

Os animais pertencem a espécie sagui-de-tufos-brancos, originários do Nordeste do Brasil, mas também encontrados nas florestas locais por invasão do comércio ilegal. A mistura dessa espécie com os saguis da região pode ocasionar sua extinção. "Essa espécie concorre com as espécies nativas da região, como o Sagui-da-serra-escuro, ameaçado de extinção, pela perda de hábitat e por miscigenação com espécies invasoras, como o Sagui-de-tufos-branco", alerta o médico-veterinário Jefferson Leite.

Para o presidente da ONG, Lisandro Frederico, as penas são brandas. "Em Brasília já tramita um projeto para aumentar as penas para esse tipo de crime, que sempre são transformadas em penas alternativas" disse.

Ele também reforça que é preciso atenção e atitude para coibir esse tipo de prática. "De nada adianta punir se as pessoas que flagram o delito sequer levam a queixa para conhecimento da polícia. É preciso denunciar e jamais ser conivente com qualquer tipo de abuso com animais" declara Lisandro.

ALTO TIETÊ

O crime com os saguis aconteceu na mesma semana em que Mogi das Cruzes promoveu o primeiro debate para criação de uma unidade do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) na região. Atualmente todos os animais silvestres capturados no Alto Tietê são encaminhados para o Cras Pet que também atende outras cidades. Porém, a unidade tem dificuldades para absorver a fila de aproximadamente 250 animais por dia que são recolhidos e encaminhados para a unidade. Com a criação do Cetas, as cidades da região terão mais uma alternativa para acolhimento e cuidados destes animais antes de serem reinseridos na natureza.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias