Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 28 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ

Caminhões-pipa atuam em tempo integral após problemas com poeira

19 JUL 2016 - 08h00

A MWE Construção e Pavimentação colocou caminhões-pipa para executar trabalhos de limpeza em tempo integral na Avenida Senador Roberto Simonsen. A iniciativa foi tomada por conta dos transtornos denunciados pela população que sofre com o pó gerado pelos veículos. De acordo com o proprietário da MWE, Manoel Fernandes, os serviços são realizados de forma integral, assim sendo executados das 8 às 17 horas. A MWE é responsável pelas obras do piscinão de Poá, de onde saem os caminhões carregados de terra.

Em menos de 30 minutos, a reportagem observou que dois caminhões carregando com água passaram na via. No decorrer do perímetro, a poeira que vinha sendo um problema para a população já não era mais perceptível. A frota de veículos pesados usa o trajeto para chegar a um aterro particular no final da avenida, onde a terra é despejada para tapar buracos no local.

Segundo Fernandes, o número de caminhões e o tempo seco propiciaram para a poeira tornar-se um problema à população. Ele destacou que antes eram três caminhões-pipa passando por dia na avenida, mas, o intenso fluxo de veículos pesados causou a mudança de horários. "Colocamos desde sábado o caminhão-pipa em tempo integral. A razão é que a população, com razão, indicou que estava havendo este problema", explicou.

Se por um lado a ação já agradou alguns moradores, a descrença de que a iniciativa possa surtir um efeito positivo é cogitada. Para a comerciante Cristiane Alvarenga, a água despejada na via não ajuda efetivamente. "Não adianta muita coisa. Dá um tempo e a água acaba secando e voltando o pó. Aqui sempre fica a sujeira, por isso, temos que limpar só no final do dia".

Segundo o comerciante, José Peixoto da Silva, a disposição da empresa em fazer a limpeza é benéfica, já que ameniza os transtornos causados, inclusive nos comércios. "Amenizou bastante. O pessoal reclama, mas é para o progresso. A cada 20 ou 30 minutos passa um caminhão, e isso é muito bom".

O mesmo pensamento tem o ajudante geral Jean Henrique Carvalho de Amorim. No entanto, o funcionário de um lava-rápido situado na avenida teme que a frota de caminhões possa trazer um novo problema. "A poeira não tem tanta, agora com esta iniciativa. O problema é que o intenso fluxo de veículos daqui a pouco vai danificar o asfalto", finalizou.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias