Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 29 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/10/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID VERDE
Reisinger Ferreira
PMMC OUT ROSA
PMMC MULTI 2020

Campanha contra o câncer bucal alcança 12 mil exames e acontece até maio

21 ABR 2016 - 08h00

A Secretaria de Saúde está realizando a 12ª Campanha contra o Câncer de Boca em Suzano e já alcançou mais de 12 mil pessoas desde o início da ação em 11 de abril. Para prevenir contra a doença, que mata cinco mil pessoas por ano no País, a campanha em Suzano segue até o dia 20 de maio. Os interessados em realizar o exame bucal devem procurar qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) do município.

Os exames para identificar o câncer estão sendo realizados simultaneamente com a campanha de vacinação contra o vírus Influenza H1N1. As pessoas que procuram as unidades de saúde para receber a vacina passam antes por um exame rápido realizado por dentistas, que examinam a boca do paciente. Aqueles que possuem sintomas, como manchas brancas e feridas, são encaminhados para fazer exames mais detalhados. De acordo com a secretaria, dois pacientes com suspeita da doença, identificados durante a campanha, estão sendo acompanhados.

De acordo com a coordenadora de Saúde Bucal de Suzano, Lara Rodrigues de Abreu Mendes, e a dentista especialista em Estomatologia, que cuida de doenças na boca, Desiree Rosa Cavalcanti, este tipo de câncer é mais comum entre os usuários de tabaco e álcool. "Conseguimos 75 mil exames e identificamos 25 casos de câncer nas campanhas que fizemos nesses 11 anos. Nossas campanhas duram duas semanas, e só encontramos 27% das pessoas que podem ter a doença", explicou Desiree.

"São cinco mil mortes no Brasil, em 2015, pela doença. O povo nem imagina que existem essas mortes. Tem pacientes que morrem antes de começar o tratamento. É comum em adultos, homens, abaixo de 60 anos, estilistas (uso de álcool) e fumantes", ressaltou a especialista.

A dificuldade em identificar a doença que é silenciosa é um dos principais fatores que levam à morte. "Setenta e cinco por cento são fumantes ou já foram fumantes, que quando esse hábito está associado ao etilismo, é ainda mais grave e mais perigoso para o aparecimento do câncer de boca. E é um doença que normalmente o paciente não valoriza os sintomas iniciais e ele demora pra procurar um atendimento, e quando procura, procura primeiro o médico não tem muita familiaridade com a boca, ele acaba tratando isso como amidalite. O paciente perde cerca de seis meses e chega a nós com o caso avançado já", esclareceu Desiree.

A prevenção da doença é realizada o ano inteiro. "Temos 61 dentistas que entendem em todas as UBS do município. Qualquer pessoa que queira fazer o exame de prevenção é atendido, durante o ano inteiro", explicou Lara.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias