Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 27 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/10/2020
PMMC OUT ROSA
SOUZA ARAUJO
Pmmc Sarampo Outubro
PMMC COVID VERDE
Reisinger Ferreira

Candido anuncia desistência da pré-candidatura à Prefeitura

16 JUL 2016 - 08h01

O ex-prefeito de Suzano, Marcelo Candido, anunciou em coletiva à imprensa, na tarde de ontem, sua desistência da pré-candidatura a prefeito para as eleições deste ano.

O motivo é o processo judicial que suspendeu o título de eleitor do político em março. De acordo com Candido, um recurso para reaver o benefício foi aberto, mas não teve decisão até o momento. Devido a isso, o ex-prefeito lançará apoio a outro pré-candidato. O nome deve ser divulgado em dez dias.

O encontro aconteceu no Espaço Ideias no Lugar, na Rua XV de Novembro, no Centro de Suzano. Cerca de 100 pessoas participaram do evento. Durante a coletiva, Candido falou sobre a decisão da Justiça e os trâmites do processo. O ex-prefeito teve seu título suspenso devido a contratações da Prefeitura sem abertura de concursos públicos. As contratações foram realizadas durante o mandato do deputado estadual e ex-prefeito, Estevam Galvão (DEM), e prorrogado durante o mandato de Candido.

"Quando iniciei minha gestão, em 2004, me deparei com a situação de quase ausência de servidores contratados. Embora a lei determine que é obrigação dos municípios fazerem concurso públicos. Não havia concursos que me permitisse chamar as pessoas aprovadas.Em função disso, baseado em um parecer jurídico, eu decidi pela prorrogação dos contratos. Se não tivesse feito isso, nos primeiros meses do meu mandato, não teria servidores suficientes para prestar os serviços. E, determinei que abrisse processos de concurso público", explicou o Candido.

Condenados em primeiro instância, Estevam recorreu na Justiça e teve seus direitos reavidos. Devido a isso, com o mesmo precedente, já que ambos os políticos respondem pelo mesmo caso, Candido solicitou a extensão do benefício do democrata para ele.

"Os resultados de qualquer sentença são os mesmo. Não há de se praticar decisões distintas para casos idênticos", explicou. Apesar disso, até o momento a Justiça não deu um parecer sobre o pedido dele. "A ideia de que Justiça tarda, mas não falha, não é aplicável nesse caso. Porque ao tardar ela pode falhar, porque tira o direito do cidadão e quando ele se restabelece, a intenção de disputa eleitoral fica para trás", pontuou Candido.

Durante a coletiva, o político divulgou que em seus mandatos foram abertos oito concursos públicos. Além disso, Candido explicou que , em 2004, a Prefeitura tinha 97% do quadro de funcionários com trabalhadores contratados sem concurso público, e que em 2012 eram apenas 2,5%. Candido também confirmou que sua filiação ao PDT não é reconhecida pela Justiça Eleitoral.

Devido a isso, a chapa de partidos coligados (PDT, PEN, PHS, PCdoB, PTN e PSDC) estuda o nome do pré-candidato que disputará as eleições. A decisão deve ser tomada em dez dias. "Conheço bem a alma do eleitorado de Suzano. O que faz o eleitorado escolher um candidato são suas propostas. Não há lei que casse alguém do direito de fazer campanha eleitoral", pontuou Candido.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias