Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 30 de março de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/03/2020
Secretaria de Estado da Saúde Campanha Coronavirus
CENTRO MÉDICO
COVID
Dengue

Casos de dengue disparam e sobem 142% no Alto Tietê no início do ano

Informações foram divulgadas pela coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do Condemat

Por Carolina Rocha - da Região11 MAR 2020 - 05h00
Casos de dengue dispararam na região. Cidades devem reforçar combate por meio de açõesFoto: Arquivo/DS
Os casos de dengue no Alto Tietê aumentaram 142% em janeiro em comparação com o mesmo período do ano passado. As informações foram divulgadas por Adriana Martins, coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). 
 
De acordo com Adriana, em janeiro de 2019, a região registrava 42 casos confirmados da doença. Em janeiro de 2020 esse número saltou para 102. Nesse mesmo período, em todo o Estado foram confirmados 33.693 casos de dengue, além de mais de 100 mil casos notificados da doença.
 
Adriana ressalta que, a região metropolitana de São Paulo, onde o Alto Tietê está inserido, ainda não é a região de maior incidência. "Então olha a preocupação. A gente tem mais que o dobro de casos que o ano passado", relata.
 
Outro dado trazido pela coordenadora diz respeito às medições de densidade larvária que é realizada nas residências pelos agentes de endemia, ação realizada quatro vezes ao ano. Nessa medição, os agentes verificam a quantidade de larvas nos criadouros existentes através da contagem nos recipientes com água parada.
 
Segundo Adriana, "infelizmente este ano, essa densidade, essa quantidade de larvas é praticamente o dobro do que o ano passado. Então é uma grande preocupação. Acabamos de sair de um tempo de muita chuva. Em seguida faz muito sol e temos muita água parada, que está dentro de casa. Então essa é outra situação que a gente te quem olhar com muito cuidado."
 
A coordenadora também ressalta a gravidade da dengue em comparação ao coronavírus. "A gente às vezes fica competindo qual é mais grave que o outro. Dengue é muito grave. Dengue mata. E a gente já tem óbitos no Estado de São Paulo, mas o governo do Estado não liberou ainda oficialmente o número de óbitos, mas ele é real, ele existe. E isso preocupa muito."
 
Para combater o crescimento dos casos de dengue, Adriana enfatiza a importância de cuidar da residência e do local onde mora. "O que a gente tem que fazer? Olhar para dentro de casa. Para o quintal, para as calhas, para as pequenas vasilhas que acabam acumulando água e a larva vai acabar ali dentro, senão o estrago é muito grande", conclui.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias