Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ

Centro registra 5º ‘apagão’ em um mês

08 MAR 2016 - 08h01

Muita paciência e cautela. Estes foram os cuidados que os motoristas, pedestres e comerciantes tiveram de ter no final da tarde de ontem em Suzano. O motivo: mais um apagão que atingiu todo um quadrilátero central. Quem passava pela Praça João Pessoa não conseguia enxergar dois metros à frente. Parte das lojas, que funcionam nesse perímetro, fechou por medo de eventuais furtos. O cenário tem sido recorrente. Há pouco mais de 15 dias o DS publicou uma matéria no qual os moradores da Campos Salles se queixavam dos apagões. Este já o quinto registrado em um mês.

No comércio de doces da Kazul Yamamoto, velas eram utilizadas para compensar a falta de iluminação. Ela relatou que o fornecimento foi suspenso por volta das 18 horas. Comerciante há oito anos, Valter Kurata, reclamou da repetição dos episódios. "Perdemos 1\3 do faturamento. Este é o horário que registramos mais movimento", ressaltou. Segundo ele, dias atrás houve interrupção no fornecimento pela manhã. Além das mercadorias que precisam ficar na geladeira, ele também calcula um prejuízo sobre o valor do aluguel. "Precisamos vender para pagar o aluguel", afirma. Com receio, Kurata fechou as portas do estabelecimento duas horas mais cedo, por volta das 19 horas. Um prejuízo irreparável, segundo ele.

No comércio ao lado, os vendedores de uma perfumaria também lamentaram a perda nas vendas por causa do apagão. A perfumista Aline Pereira é uma delas. "Qualquer chuva que cai, ficamos sem energia. Acontece sempre", pontua. O prejuízo nas vendas é de aproximadamente R$ 60 por profissional. A loja conta com cinco vendedores.

Para os motoristas que trafegavam pelas ruas General Francisco Glicério, Campos Salles, Felício de Camargo e nas proximidades, a cautela foi uma exigência. Os semáforos ficaram desativados, o que complicou o trânsito. Os pedestres caminhavam com cautela.

A circulação dos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) não foi afetada. Até o fechamento desta matéria não foram registrados incidentes com carros ou pedestres.

RESPOSTA

A concessionária responsável pelo serviço, EDP Bandeirante, esclareceu que o serviço foi interrompido por conta de uma falha na rede.

A situação foi provocada pela chuva que atingiu a cidade. Segundo a nota, por volta das 19h46, parte da energia já havia sido restabelecida.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias