Envie seu vídeo(11) 4745-6900
quarta 27 de outubro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/10/2021
SOUSA ARAUJO - SIENA
PMMC PPM
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Parque

Cetesb monitora 67 pontos sobre a qualidade da água de rios da região

Objetivo é informar à sociedade sobre a evolução da qualidade das águas superficiais

Por Lucas Lima - de Suzano19 SET 2021 - 10h00
Cetesb monitorou 67 pontos da Bacia do Alto Tietê em 2020 e constatou que o Índice de Qualidade de Água (IQA) dos principais rios da região varia de “boa” até “péssima”, em uma escala de cinco categoriasFoto: Regiane Bento/DS
A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) monitorou 67 pontos da Bacia do Alto Tietê em 2020 e constatou que o Índice de Qualidade de Água (IQA) dos principais rios da região varia de “boa” até “péssima”, em uma escala de cinco categorias.
 
De acordo com a companhia, o monitoramento da qualidade dos principais rios do Alto Tietê é feito por meio de medições de parâmetros físicos, químicos e biológicos. 
 
O objetivo é informar à sociedade sobre a evolução da qualidade das águas superficiais. O procedimento é realizado a cada três meses. No ano passado, apesar da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Cetesb disse que monitorou de forma representativa 67 pontos da Bacia do Alto Tietê.
 
O Índice de Qualidade de Água da Cetesb possui cinco categorias: ótima, boa, regular, ruim e péssima. Este índice é composto por nove parâmetros. São eles temperatura da água, pH, demanda bioquímica do oxigênio, oxigênio dissolvido, fósforo total, nitrogênio total, escherichia coli, turbidez e sólidos totais.
 
Entre os principais rios da região monitorado está o Rio Tietê. Segundo a companhia, nas proximidades da nascente, em Mogi das Cruzes, o Rio Tietê manteve a qualidade boa em 2020. No entanto, no trecho que atravessa a Região Metropolitana de São Paulo até Pirapora do Bom Jesus, a qualidade varia entre ruim e péssima. Por outro lado, a Cetesb informou que houve uma melhora da qualidade da água no trecho que atravessa a Região Metropolitana de São Paulo. 
 
A companhia também ressaltou que, ainda nesse ano, verificou-se uma diminuição da carga de poluição orgânica no Rio Tietê, na saída da Região Metropolitana, que chegou a ser cerca de 50% menor quando comparada ao ano de 2015. 
 
“Essa melhora é reflexo da instalação de novas infraestruturas de saneamento”, disse em nota.
 
Rio Taiaçupeba
 
Já o Rio Taiaçupeba-Mirim, um dos formadores do reservatório Taiaçupeba, localizado em Suzano, apresentou qualidade regular para o Índice de Qualidade de Água em 2020 e nos últimos quatro anos.
 
Na contramão, o Ribeirão Perová, um dos afluentes do Rio Tietê, situado em Itaquaquecetuba, apresentou qualidade péssima no ano passado e ruim nos últimos cinco anos.
 
Outro monitorado foi o Ribeirão Ipiranga, um dos afluentes do Rio Tietê, localizado em Mogi das Cruzes, a Cetesb registrou qualidade ruim em 2020 e nos últimos cinco anos.
 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias