Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 28 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
Pmmc Sarampo
SOUZA ARAUJO
PMMC COVID SAÚDE
ÚNICCO POÁ
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Com bônus, 12,7 bilhões de litros d'água são economizados em 27 meses

28 MAI 2016 - 08h00

As cidades do Alto Tietê abastecidas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) economizaram 12,7 bilhões de litros de água de fevereiro de 2014 a abril deste ano. A redução do consumo foi possível a partir da campanha de bônus instituída pela concessionária durante a crise hídrica que afetou o Estado há dois anos.

Segundo a Sabesp, o volume economizado é suficiente para abastecer 3,8 milhões de pessoas por mês. Na região, a companhia atende as cidades de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá, Salesópolis, Suzano e bairros da divisa de Mogi das Cruzes.

No mesmo período, em toda Região Metropolitana de São Paulo, foram economizados 332 bilhões de litros de água. O volume representa quase duas represas Guarapiranga. A quantia é considerada pela Sabesp, suficiente para abastecer toda a Região Metropolitana do Estado, com 20 milhões de pessoas, por quase quatro meses.

Em contrapartida, conforme já divulgado, a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) autorizou a companhia, no último mês, a extinguir a sobretaxa e o bônus nas contas de água na Grande São Paulo. O pedido foi feito pela Sabesp na última semana de março. Na época, a empresa disse que a melhora no nível dos reservatórios dispensa os programas econômicos de incentivo à redução de consumo de água.

Com a decisão, tanto a sobretaxa, que visava punir pelo uso excessivo d'água, como a política de bônus, que dava desconto para quem economizasse, ficam extintos a partir das leituras feitas neste mês, referentes ao consumo de abril

REPRESAS

Ontem, os reservatórios que compõem o Sistema Produtor Alto Tietê (Spat) operavam com 40,7% de volume. O índice é 18,1% maior em relação ao ano passado e 9,5% maior em comparação a 2014, ano em que se início a campanha de bônus. Para se ter uma ideia, em 2015, quando começou a ser aplicada as multas para quem não economizasse água, as represas da região operavam com 22,6% da capacidade. Um ano antes, na mesma data (27.05), o Spat possuía 31,2% de volume operacional.

Neste ano, a pluviometria acumulada no mês também é mais alta em comparação aos anos anteriores, 95 mm contra 65,4 milímetros em 2015 e 28,6 mm em 2014. Já a média histórica do mês varia entre os 75 mm, neste ano, contra 59,6 mm e 78,3 mm, nos dois últimos anos, respectivamente.

O Spat abastece atualmente mais de um milhão de habitantes da região. Desde dezembro de 2013, início da crise hídrica, fornecia água para 4,5 milhões de pessoas da Grande São Paulo - que antes eram atendidas pelo Cantareira. O Sistema Alto Tietê é formado pelos reservatórios de Ponte Nova, Paraitinga, Biritiba, Jundiaí e Taiaçupeba.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias