Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 25 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/09/2020
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

Comércio se adequa à proibição de lâmpadas incandescentes

01 JUL 2016 - 08h01

As lojas de Suzano já suspenderam as vendas de lâmpadas incandescentes, em vista que a proibição de consumo das mesmas começou a valer ontem. De acordo com os gerentes dos estabelecimentos, desde julho do último ano que a nova regra foi encaixada. Isso, por conta das lâmpadas fluorescentes, LED e eletrônicas serem mais econômicas e duradouras.

De acordo com a responsável de loja Cristina Regina Ferreira, a restrição é perfeita para minimizar o desperdício de consumo de energia. "As lâmpadas fluorescentes gastam muito menos que as incandescentes. Além disso, as atuais permitidas têm mais duração de vida. São detalhes que fazem toda a diferença e com certeza a medida é muito valida para toda a população".

A restrição foi feita pela Portaria Interministerial 1.007/2010, com o objetivo de reduzir a quantidade de consumo de energia elétrica. Uma lâmpada fluorescente compacta economiza 75% em comparação a uma incandescente de luminosidade equivalente. Caso a opção for por uma de LED, essa economia sobe para 85%. O comerciante Amarildo dos Santos Feitosa, falou que as eletrônicas também são ótimas opções. "As eletrônicas costumam ser um pouco mais caras, porém reduzem muito o consumo de energia. Ela e a LED estão dentro da minha indicação".

Segundo a operadora de caixa, Sandra Maria dos Santos, o orçamento da conta de luz chega bem mais barato quando se usa lâmpadas fluorescentes. "Há aproximadamente dois anos que mudei as lâmpadas na minha casa e senti toda a diferença na hora de pagar a conta de luz. As fluorescentes são muito boas, porque além de terem uma cor melhor do que as incandescentes que são amarelas, elas também duram por muito tempo".

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) começa hoje a fiscalização, por meio dos Institutos de Pesos e Medidas (Ipem) estaduais, estabelecimentos comerciais que ainda tenham à disposição de lâmpadas incandescentes com potência de 41 watts (W) até 60 W. (L.L.)

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias