Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
ÚNICCO POÁ

Comunidade libanesa em Suzano lamenta tragédia em Beirute

Explosão de um armazém na região portuária da capital libanesa deixou centenas de mortos e milhares de feridos

Por Carolina Rocha - de Suzano05 AGO 2020 - 22h00
Explosão em Beirute teria ocorrido devido ao armazenamento incorreto de nitrato de amônioFoto: Wael Hamzeh/EFE
A comunidade libanesa em Suzano lamenta a tragédia na Capital do Líbano, Beirute, causada pela explosão de um armazém na manhã da última segunda-feira (04).
 
Segundo o padre Carmine Mosca, responsável pela Paróquia São Charbel em Suzano, onde são realizadas as celebrações da Igreja Maronita, libaneses e descendentes que moram na região estão sofrendo com as notícias vindas do oriente.
 
“A comunidade está muito triste e muito abalada. Muitos libaneses aqui da região tem familiares e amigos que moram próximos a Beirute, em cidades vizinhas. Estão todos muito preocupados”, afirma o padre.
 
De acordo com o pároco, além da apreensão com a integridade física dos parentes e amigos, a comunidade também enfrenta dúvidas quanto ao real motivo da explosão.
 
“Estamos esperando que se descubra o real motivo (da explosão). Se foi realmente acidental ou se foi algo criminoso”, completa.
 
Também triste e abalada pelas notícias está Jeanette Bou Ghosn, nascida no Líbano e moradora de Suzano há 46 anos. A comerciante conta que a primeira reação que teve, assim que recebeu a notícia, foi de entrar em contato com parentes e amigos.
 
“Sempre mantemos contato. Conversei com todos e estão bem. A maioria mora em cidades mais afastadas da Capital. Sentimos muito pelo que aconteceu, é muito triste. Ficamos muito abalados. Estamos rezando e pedindo a Deus para que tudo fique bem e melhore logo”, relata.
 
De acordo com o padre, somente em Suzano, a comunidade libanesa conta com cerca de 30 famílias. O número aumenta expressivamente se levarmos em consideração o Alto Tietê, que tem mais de 100 famílias de libaneses e descendentes.
 
A explosão
 
Segundo as primeiras informações, a suspeita é de que a explosão na região portuária de Beirute, Capital libanesa, teria ocorrido devido ao armazenamento incorreto de nitrato de amônio, um tipo de fertilizante altamente inflamável. 
 
Até o fechamento desta edição, a informação oficial do governo libanês é de que mais de 100 pessoas tenham morrido na explosão, e mais de 4 mil pessoas tenham ficado feridas. 
 
O presidente do país, Michel Aoun, declarou estado de emergência nacional por duas semanas, na tarde da última quarta-feira (5), devido o ocorrido.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias