Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 18 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/09/2020
PMMC COVID LAR
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Crise financeira pode levar a demissão de 600 funcionários públicos até 2018

02 JUN 2016 - 08h00

Ao menos 600 funcionários públicos da Prefeitura de Suzano correm o risco de serem demitidos ou terem os benefícios cassados até 2018. A justificativa é de que as despesas referentes ao pagamento dos salários têm representado quase a metade da receita do município. A informação foi dada pelo secretário de Fazenda, Jorge Romanos Júnior, na terça-feira, durante audiência pública sobre as metas fiscais do 1° quadrimestre do ano. "Irei entrar nessa questão polêmica, mas, a opinião que faço é está, já que, desta forma, a folha de pagamento seria feita em sua totalidade", frisou.

Sobre o valor destinado ao pagamento de funcionários, o secretário frisou que o Executivo está à beira de exceder os gastos. Isto porque, nos primeiros quatro meses do ano, a Prefeitura teve R$ 174 milhões de despesas e, deste total, o montante destinado aos salários de servidos públicos foi de R$ 83 milhões. "A maioria das Prefeituras do Estado têm passado o mesmo problema, quando o motivo é o pagamento totalitário dos salários", contou Romanos.

Ele avalia ainda que o próximo prefeito possa passar dificuldades, já que há possibilidades de que as dispensas ou cassações dos benefícios sejam a única alternativa para não deixar o município em um estado de dívidas com funcionários ou com as contas negativas. "Continuamos fazendo o pagamento em dia, porém não sei como pode ser daqui pra frente", destacou.

Romanos contou que a situação de arrecadação do município não está conforme o estimado, mas, que, antigamente, estava estagnada e defasada. "Conseguimos colocá-la para trabalhar (arrecadação). Poderia ser pior, porém progredimos expressivamente". Ele atribuiu que este obstáculo na administração municipal é decorrente a falta de vontade de alguns servidores ao empenho em prol do município. "Não há a colaboração desses servidores (não citou quais e de quais pastas). Ou seja, o momento está assim porque não ajudam", revelou.

O vereador Walmir Pinto (PDT) o questionou sobre a possibilidade de transferir ou exonerar estes funcionários. No entanto, o secretário foi enfático em dizer e rebateu. "Como tem a possibilidade de você disputar o pleito deste ano, eu espero que você ganhe e tomara que os tire".

DÍVIDAS

Outro problema pode afetar o próximo prefeito de Suzano: as chances de a gestão seguinte iniciar os trabalhos com uma dívida de R$ 50 milhões são prováveis. Romanos afirmou que uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o projeto de vender terrenos públicos ociosos prejudicou o Executivo. "A ideia era sanar as dívidas e entregar a Prefeitura com as contas zeradas. Mas, após a Adin, já estamos com déficit orçamentário de R$ 38 milhões deste ano", revelou.

Nas considerações finais da audiência, o diretor de Receita da Prefeitura, Maurício Abrão, destacou os trabalhos feitos pela secretaria. "Em 2013, o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) era de R$ 17 milhões e, atualmente, o duplicamos para R$ 28 milhões. Além disso, a arrecadação teve um 'boom' por causa das obras do Rodoanel (Mário Covas), e há outra ainda para ser feita, então, vai beneficiar ainda mais. O que acaba prejudicando o município é as questões politiqueiras", finalizou.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias