Envie seu vídeo(11) 4745-6900
domingo 24 de outubro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/10/2021
SOUSA ARAUJO - SIENA
Pmmc Parque
PMMC PPM
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Empoderamento

Curso de Promotoras Legais evidencia violência obstétrica em nova aula

Enfermeira Lilian Pereira norteia debate em 26ª aula; material é compartilhado com alunas de Suzano e de Minas Gerais

Por de Suzano28 SET 2021 - 15h40
Enfermeira Lilian Pereira norteia debate em 26ª aulaFoto: Irineu Junior/Secop Suzano

As alunas do curso de Promotoras Legais Populares (PLP) acompanham nesta terça-feira (28) a 26ª aula, com o tema “Violência Obstétrica”, tendo à frente a enfermeira Lilian Pereira. O conteúdo, disponível pelo Serviço de Ação Social e Projetos Especiais (Saspe), pode ser acompanhado no canal “TV Prefeitura de Suzano” (bit.ly/TVPrefeituradeSuzano).

Com duração de aproximadamente uma hora, a nova palestra traz para o debate as atitudes que podem ser consideradas violência obstétrica e quais os locais em que as futuras mães podem buscar apoio quando têm os direitos violados.

Educadora Popular e presidente do Centro Tereza de Benguela de Promotoras Legais Populares de Itaquaquecetuba, Lilian compartilha de forma muito sensível um relato próprio de violência obstétrica que sofreu durante a sua gestação, além de evidenciar que, no Brasil, uma a cada quatro mulheres é vítima desse tipo de violência.

“As pessoas precisam entender que cada gestação é diferente e cada mulher passa por um processo único. A violência obstétrica não é apenas no parto. Ela pode acontecer desde o pré-natal até o período puerperal”, informou.

A palestrante também compartilhou que o tipo de violência mais cometido neste período é a psicológica, muitas vezes proibindo que a mãe se expresse ou grite. “Qual é a maior dor? É a dor que cada um está sentindo. Não é porque estamos em um parto que precisamos ficar, às vezes, mais de 10 horas sentindo uma dor intensa”, argumentou.

Para a dirigente do Saspe, a primeira-dama Larissa Ashiuchi, o tema proposto é de suma importância, uma vez que evidencia situações que muitas vezes podem ter sido naturalizadas, mas que são erradas. “Nossas mais de 300 alunas agora vão compreender os tipos de violência, se aprofundando na obstétrica. É importante tocar nesse assunto e expor ações errôneas que machucam milhares de mulheres todos os dias em nosso País”, destacou.

Sobre o curso

O Promotoras Legais Populares é uma capacitação gratuita voltada às mulheres maiores de 18 anos, com foco na cidadania sob a perspectiva da igualdade de direitos entre as diversidades de classe social, étnico-racial, sexual e suprapartidário.

Os temas são escolhidos por meio de uma minuciosa curadoria de conteúdos referentes às temáticas semanalmente abordadas. Além das 300 alunas de Suzano e região inscritas, desde julho, outras 97 mulheres de Minas Gerais ingressaram no curso, levando os conhecimentos para outras cidades. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias