Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
sexta 07 de maio de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 07/05/2021
MAGIC CITY - CAMPANHA SOLIDÁRIA
CLUDE DS DIA DAS MÃES
 SP EDUCAÇÃO - SAC_210326-001 - CORONAVIRUS - VACINACAO PROFISSIONAIS
Quality Admistração de Condomínios
Cazarini

Deputados da região são favoráveis à compra de vacina pelo setor privado

Parlamentares acreditam que iniciativa aceleraria a vacinação no Brasil

Por Thiago Caetano - de Suzano11 ABR 2021 - 12h00
André do Prado, Gambale, Estevam e Damasio comentaram proietoFoto: Divulgação
Deputados estaduais do Alto Tietê são favoráveis à compra de vacinas pelo setor privado. Um projeto de lei, que autoriza o estado de São Paulo e o setor privado a comprar vacina contra o coronavírus foi aprovado na semana passada (leia matéria abaixo). 
 
Os parlamentares acreditam que a aprovação aceleraria o processo de vacinação no Brasil.
 
É o que diz o deputado estadual André do Prado (PL).
 
"Essa é minha posição em plenário. Só com nossa população vacinada que o Estado de São Paulo estará pronto para seguir em frente", disse. 
 
O deputado pede, no entanto, que a população continue seguindo as medidas de segurança para evitar a contaminação. "Até lá, vamos manter o uso de máscaras, do álcool em gel e o distanciamento social. Juntos somos mais fortes", concluiu. 
 
Quem também se mostrou favorável a decisão foi o deputado estadual Rodrigo Gambale (PSL). O parlamentar vê o Brasil atrás de outros países no mundo no sistema de vacinação e que isso não atrapalha o processo de imunização no País. "Quem estará sendo vacinados são brasileiros também. Se o governo arcar com a parte dele e as empresas vacinarem seus funcionários, ajuda o País. Uma pessoa vacinada ajuda também quem ainda não se vacinou, pois evitaria uma proliferação do vírus", explicou. 
 
Ainda segundo Gambale, se a opção existisse antes o número de imunizados seria maior do que é atualmente. 
 
"Muitos países estão mais avançados do que o Brasil no processo de imunização. Se a iniciativa existisse antes, com certeza o número de vacinados seria maior. Precisamos agilizar e vacinar o maior número de brasileiros o quanto antes".
 
Estevam Galvão (DEM) também é favorável à aprovação do projeto. Na visão do parlamentar o único remédio é a vacina. Ele se vê angustiado com a atual situação da pandemia e garante que seu desejo é ver a população imunizada. 
 
"Estamos vivendo um momento muito difícil e angustiante. O único remédio mesmo é a vacina. Eu recebi a primeira dose, fiquei feliz e me senti mais seguro. Mas meu desejo é que toda a população seja vacinada", finalizou.
 
Já o deputado Marcos Damasio (PL) concorda com a iniciativa, mas com uma ressalva. "Sou favorável desde que as empresas comprem para vacinar, gratuitamente, seus funcionários'', opinou.
 
Projeto foi aprovado na Assembleia
 
A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou, no início da tarde de quarta-feira (7/4), o Projeto de Lei, que autoriza a compra de vacinas contra a Covid-19 pelo governo estadual e o setor privado, desde que devidamente aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou autoridades sanitárias estrangeiras.
 
De acordo com o texto substitutivo, a aquisição pelo Estado e pelo setor privado só poderá ser feita seguindo as leis federais e se não houver prejuízo aos demais entes da federação (União e Estados). O governo estadual também fica autorizado a abrir crédito adicional especial para a compra. Já o setor privado também poderá distribuir e aplicar as vacinas.
 
O projeto também possibilita a utilização do "soro anti-Covid", produzido pelo Instituto Butantan. Pela regra, a administração deverá ser feita apenas em ambiente hospitalar, com os resultados registrados detalhadamente no prontuário do paciente, e pelo menos um hospital de referência no tratamento do vírus deverá ser destacado para sistematizar os resultados da aplicação.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias