Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
domingo 19 de setembro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/09/2021
PMMC REDESCUBRA MOGI
MAGAZINE CAZARINI
SEC DE GOVERNO - CAMPANHA: CORONAVIRUS - VALE GÁS - FASE II
ManArc
CREA-SP

Famílias retiradas de residências por causa do Rodoanel cobram restante de 20% das indenizações

Moradores afirmam que SPMar pagou 80% de indenização por retirada de casas para construção de Rodoanel

Por Thiago Caetano - de Suzano01 AGO 2021 - 05h00
Suzanenses afirmam que a SPMar pagou 80% da indenizaçãoFoto: Regiane Bento/DS
Moradores do Jardim Monte Cristo, em Suzano, cobram da SPMar valores completos de indenização por retirada de casas para construção de trecho do Rodoanel Mário Covas (SP-21). Os suzanenses afirmam que a SPMar pagou 80% da indenização, restando outros 20% a serem pagos.
 
O encanador Eliseu da Silva, de 62 anos, é um dos moradores que passam pela situação. De acordo com ele, a justificativa é que o valor deve ser pago somente com a assinatura de um juiz. Segundo ele, mais sete pessoas passam pela mesma situação. “Foi pago 80%. Já tem 9 anos que estamos brigando por isso. Falam que é só o juiz assinar para nós recebermos. Vamos no advogado e a resposta é a mesma”, relata.
 
O DS foi até o ponto exato do imóvel, na Rua Água Marinha. Somente uma parte do muro e uma árvore, que ficava no quintal do imóvel, permanecem no local. Ele vivia no local desde 1968. “Não deu para aproveitar muita coisa, infelizmente. Derrubaram com tudo. Nove anos para poder liberar o dinheiro para a gente”, critica.
 
Quem também vive situação semelhante é o aposentado Pedro Soares, de 85 anos. Atualmente, ele mora na Rua Conde de Monte Cristo, no mesmo bairro. Ele vive com sua esposa, Ondina Honório Soares, de 74 anos. O morador lembra que foi determinado um prazo de 10 dias para a desocupação. “Deveriam ter pago isso. Não só para mim, mas para todas as outras pessoas. Foi dado dez dias para que os moradores se retirassem. Saímos dentro de 8 dias. Se houvesse resistência, era para nos tirar na marra”, disse. Em seguida, Soares e sua esposa conseguiram alugar uma casa onde ficaram um pouco mais de 2 anos, até conseguirem imóvel. 
 
De acordo com Ondina, faz 6 anos que os 80% de indenização foram pagos. Segundo ela, o valor estipulado do imóvel (R$129,7 mil) era considerado baixo. “Demos entrada e pagamos 25 parcelas de mil reais aqui. Era um casarão, tinha 8 cômodos. O analista e disse que o valor deveria ser maior. Só aqui, pagamos R$150 mil de entrada por meio lote. E está assim até hoje”. Hoje em dia, ela evita frequentar o espaço do antigo imóvel. “Passo até mal. O espaço era maior. Fazia muita coisa lá”, finalizou.
 
SPMar
 
A SPMar afirma ter realizado o depósito integral, em juízo, de todas indenizações necessárias, conforme determina a lei. 
A empresa, no entanto, afirma que o pagamento integral da indenização se trata de uma decisão judicial.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias