Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 28 de março de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/03/2020
Secretaria de Estado da Saúde Campanha Coronavirus
CENTRO MÉDICO
COVID

Farmácias sofrem com desabastecimento de máscaras

Por Carolina Rocha - de Suzano26 MAR 2020 - 12h53
Produto é indicado para evitar a proliferação do vírus pelos infectados, mas parte da população utiliza as máscaras mesmo sem estar doenteFoto: Regiane Bento/Divulgação
As farmácias de Suzano ainda sofrem com a falta de máscaras para a venda. Os estoques começaram a esgotar no início da pandemia do novo coronavírus. O produto é indicado para evitar a proliferação do vírus pelos infectados, mas parte da população utiliza as máscaras mesmo sem estar doente. 
 
É o que dizem os farmacêuticos procurados pela reportagem. Para Leila Alves, farmacêutica de um estabelecimento localizado no bairro Miguel Badra, a situação é complicada. Desde o começo do surto de coronavírus ela não consegue repor os estoques do produto. Leila afirma que com o álcool em gel o cenário é o mesmo. A última remessa que chegou à farmácia foi na sexta-feira passada.
 
"Tentamos seguir as recomendações impostas aos supermercados, de vender o álcool em gel a preço de custo. O resultado foi que acabou em poucas horas no mesmo dia, e não conseguimos mais repor até agora", explica.
 
Mário Ito, um os proprietários de uma farmácia na região central da cidade, também relata problemas para adquirir o produto. Ele conta que chega a encomendar as máscaras ao fornecedor, mas que antes mesmo da remessa sair para entrega, as empresas entram em contato para cancelar o pedido. Segundo ele, as fábricas alegam falta de matéria prima para produção.
 
Uma das entrevistadas, que não quis se identificar, afirmou que a procura pela máscara ainda está muito alta. Segundo ela, o produto está em falta até mesmo com os fornecedores, e ainda não há expectativa de abastecimento. Ela conta que apesar das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde e Vigilância Sanitária, as pessoas ainda estão comprando as máscaras e demais produtos para combate ao Covid-19 de forma indevida. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias