Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 29 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
SOUZA ARAUJO

Fumaça prejudica 300 funcionários de empresa no Miguel Badra

10 AGO 2016 - 08h00

Uma fumaça que exala sob o solo de um terreno localizado na Avenida Miguel Badra, em frente à Unidade Rio Verde da Suzano Papel, tem afetado 300 funcionários da empresa.

O cheiro é extremamente forte e se caracteriza como a queima de resíduos tóxicos. Por conta disso, os trabalhadores utilizam máscara para bloquear o odor. A situação se encontra há cerca de quatro meses.

O espaço onde acontece a queima tem aproximadamente 50 metros quadrados e é composto por diversos lixos e entulhos. Entre eles estão pneus velhos, telhas e sacos plásticos. Segundo os funcionários da empresa, a fumaça fica forte no período da noite e pela manhã é difícil respirar.

O sindicalista e analista de laboratório Eduardo Ramos, explicou o que pode estar ocorrendo no terreno. "Fomos até lá e percebemos que há uma queima de pneus e junto a eles tem um resíduo tóxico que faz uma reação química, a qual gera a fumaça. O produto com a umidade da noite fica forte e exala muito. A partir das 17 horas a condição de respiração fica péssima e dura até 8 horas da manhã. Tem dia que não aguentamos trabalhar", argumentou.

O vigilante Gilmaran Nascimento Ferreira falou os prejuízos que enfrenta todos os dias. "Fico com pigarro na garganta diariamente. Isso porque uso a máscara de bloquear o cheiro, imagina se não tivesse. Já fiquei doente várias vezes durante esse tempo da fumaça e não tem nada que resolva. Precisa ter uma solução urgente para este caso", lamentou.

O funcionário Marcos de Paula disse que os responsáveis do terreno não se prontificaram a resolver o problema. "Falamos com os donos do espaço e comentaram que não se importam com as condições que a fumaça está trazendo. Ainda brincaram, falando que pelo menos não tem mais mosquito. Todo mundo da empresa está sendo prejudicado".

RESPOSTAS

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou que não houve registro de reclamação referente à ocorrência. De acordo com a Cetesb, o local é predominado de terrenos vazios da várzea do rio Tietê, com vegetação rasteira que nesta época do ano, face à ausência de chuvas, pode ocorrer queimadas e emissão de fumaça. Sendo assim, cabe ao Corpo de Bombeiros dar os primeiros atendimentos, acionando outras entidades, incluindo a própria Cetesb, caso se verifique necessidade.

A Prefeitura Municipal disse que a Defesa Civil está desde junho acompanhando a situação e está empregando as ações necessárias para resolver o problema de forma eficiente. A Suzano Papel e Celulose informa que identificou um foco de fumaça no terreno localizado próximo à sua unidade de Rio Verde (SP) e que notificou o orgão responsável pela fiscalização do local. A empresa salienta ainda que vem tomando providências para assegurar o bem-estar de seus colaboradores.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias