Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 30 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo
ÚNICCO POÁ
SOUZA ARAUJO

Gestantes tomam medidas para evitar zika vírus e caso de microcefalia

23 DEZ 2015 - 07h01

As gestantes de Suzano e da região estão preocupadas com o surto de zika vírus que está se proliferando no País e pode gerar a microcefalia nos bebês. Para evitar ser picada pelo mosquito transmissor da doença, o mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue, moradoras têm tomado cuidados que vão até o uso contínuo de repelentes até o uso de vitaminas indicadas por médicos.

De acordo com o Ministério da Saude, o zika vírus é um arbovírus, que significa "grande família de vírus", transmitido pela picada do Aedes. A doença que tem os sintomas mais frequentes de febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas e manchas vermelhas pelo corpo, tem trazido medo as gestantes por ser a causadora da microcefalia. A doença se trata de uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada, ainda durante a formação do embrião.

A publicitária e moradora de Suzano, Priscila Poblete, de 24 anos, grávida de seis meses, tem se precavido para evitar o contágio do zika vírus. "Minha obstetra me orientou a passar repelente o tempo todo e tomar um completo de vitamina B. Esse complexo faz a gestante exalar um cheiro, que nós não sentimos, mas que afasta com os mosquitos, todos eles", comentou.

Priscila contou também, que após várias noticiais sobre o assunto e a duração e ações dos repelentes do mercado, tem aplicado o produto na pele a cada duas horas. "Eu leio muito sobre o assunto e vi que os repelentes duram menos tempo do que o indicativo nas embalagens, depois dessa notícia comecei a passar com maior frequência. Até agora nenhum pernilongo me picou", comentou.

O mesmo tem feito a gestante Bruna Cristina Pardo Cunha, de 28 anos, que mora em Poá. De acordo com ela, a medida tomada está sendo passar o repelente. "Essa foi a orientação que recebi do médico. Por isso passo duas vezes ao dia para evitar ser picada", explicou. Bruna também comentou que as medidas para evitar a proliferação do mosquito são ineficazes em sua casa. "Isso porque, na frente na minha casa há um terreno com matagal onde os moradores despejam lixo. É complicado", esclareceu.

O Ministério da Saúde divulgou que até o dia 28 de novembro foram notificados à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde 1.248 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 311 municípios de 14 estados do Brasil. Para prevenção, o órgão indica que as grávidas eliminem locais com água parada que possa servir como reprodução do mosquito, manter portas e janelas fechadas para se proteger no mosquito, além do uso do repelente.

ZIKA

O primeiro caso de febre transmitida pelo zika vírus na região do Alto Tietê foi confirmado semana passada, dia 18, no município de Santa Isabel. A mulher de 37 anos, infectada, não era gestante e se contagiou fora da região, durante uma viagem ao Estado da Bahia.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias