Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
domingo 19 de setembro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/09/2021
PMMC REDESCUBRA MOGI
MAGAZINE CAZARINI
ManArc
CREA-SP
SEC DE GOVERNO - CAMPANHA: CORONAVIRUS - VALE GÁS - FASE II

Incêndio destrói igreja evangélica na Vila Amorim em Suzano

Caso ocorreu na manhã de domingo (12). Local estava fechado no momento do incêndio

Por Thiago Caetano - de Suzano13 SET 2021 - 22h50
Segundo pastor, chamas teriam entrado pelo ar-condicionado atingindo a área interna do localFoto: Regiane Bento/DS
Um incêndio destruiu uma igreja evangélica na Vila Amorim, em Suzano. O caso ocorreu na manhã deste domingo (12), na Rua Amélia Guerra, 252, em um cruzamento com a Marginal do Una. O local estava fechado no momento do incêndio. Ninguém ficou ferido. O pastor da igreja Renovação Cristã, Marcio Lehn, suspeita de que o incêndio começou após um morador em situação de rua colocar fogo em um colchão. Ele teria ateado fogo após uma discussão. As chamas teriam entrado pelo ar-condicionado atingindo a área interna do local. 
 
O pastor estima um prejuízo de pelo menos R$150 mil. Todo o salão ficou destruído. Além disso, foi perdido instrumentos musicais. Entre eles uma bateria e uma mesa de som. “Quando cheguei o incêndio estava controlado. O prejuízo é de pelo menos R$ 150 mil. Só nossa mesa de som custa R$ 30 mil. Sem contar o concerto do salão”, disse o pastor. De acordo com Lehn, o local costuma ser frequentado por moradores em situação de rua. “Um problema social que acontece há anos por aqui”, relata Lehn. O pastor realizou um Boletim de Ocorrência (B.O) na manhã desta segunda-feira (13) e aguarda o resultado dos laudos. 
 
“É uma situação muito triste. Perdemos praticamente tudo. Graças a Deus não tinha ninguém aqui. Poderia ser pior se tivesse”, finalizou. 
 
Defesa Civil
 
Segundo a Prefeitura de Suzano, a Defesa Civil foi chamada para a ocorrência às 14h15. 
 
O órgão fez orientações aos responsáveis pelo imóvel em relação à contratação de um profissional habilitado para tomar as medidas necessárias. 
 
De acordo com a Defesa Civil, não há necessidade de interdição. A Polícia Civil teria solicitado uma perícia no local com objetivo de dar continuidade à investigação.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias