Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 20 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/10/2020
PMMC MULTI 2020
Pmmc Sarampo Outubro
PMMC OUT ROSA
ÚNICCO POÁ
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Indústrias demitem 650 trabalhadores da região em um mês, aponta Ciesp

19 FEV 2016 - 07h01

As indústrias da região demitiram 650 trabalhadores em janeiro. Os dados foram divulgados ontem pela Diretoria Alto Tietê do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). Os dados mostram que as cidades começaram o ano em queda, mantendo uma tendência registrada desde fevereiro do ano passado.

Os números são de Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis e Suzano.

Com o resultado de janeiro, o Alto Tietê ficou na 26ª colocação no ranking das 35 regiões industriais do Estado e, mais uma vez, o índice de demissões registrado na região (-1,03%) superou a média estadual, que foi de -0,63% no nível de emprego. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de -11,39%, o que corresponde a uma queda de aproximadamente 7.950 postos de trabalho.

"Começamos mal 2016, o que não é uma surpresa dado o cenário que vivemos. Mas é desanimador saber que estamos num período que tem sido o pior da história para a indústria. Encerramos 2015 com uma queda de 6% na atividade industrial paulista e esse patamar deve se repetir neste ano, com efeitos desastrosos no mercado de trabalho não só do setor, mas também num efeito cascata para outros segmentos", avalia o diretor do Ciesp Alto Tietê, José Francisco Caseiro.

Ele ressalta que janeiro tradicionalmente é um mês de geração de empregos, mas neste ano o resultado foi o contrário disso, com muitas indústrias, inclusive grandes, demitindo. "Só a união dos empresários pode fazer alguma diferença neste cenário conturbado e de inércia do governo", acrescentou.

O índice do nível de emprego industrial na área do Ciesp Alto Tietê foi influenciado pelas variações negativas dos setores de Celulose, Papel e Produtos de Papel (-3,75%); Produtos de Metal, exceto Máquinas e Equipamentos (-2,45%); Metalurgia (-3,01%) e Produtos de Minerais Não-Metálicos (- 1,12%).

Quando comparados os meses de janeiro dos anos de 2015 e 2016, o cenário é pior, pois em janeiro do ano passado o resultado foi positivo em 0,44%.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias