Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 16 de agosto de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/08/2022
SESC AGOSTO 2022
Balanço

Alto Tietê chega a 11 casos de varíola dos macacos

Itaquaquecetuba notificou mais dois novos casos e Poá registrou o primeiro

Por Thiago Caetano - Da Reportagem Local03 AGO 2022 - 11h40
Alto Tietê chega a 11 casos da varíola dos macacosFoto: Dado Ruvic/Reuters

O Alto Tietê chegou a 11 casos da varíola dos macacos. Itaquaquecetuba notificou mais dois  no fim da tarde de ontem (2). No total, são quatro casos confirmados no município.  Segundo a Secretaria de Saúde do municípios, todos os pacientes estão bem e com boa evolução clínica. A pasta descartou outros oito casos suspeitos. Um está em análise.

Já Poá confirmou, também na tarde desta terça-feira (2), o primeiro caso da doença. Segundo a Secretaria de Saúde do município, trata-se de um homem, de 33 anos, morador do Jardim Santa Helena. A pasta informou que paciente está bem, em isolamento. O Departamento de Vigilância em Saúde acompanha o caso. 

Ainda segundo a pasta, o paciente não soube informar como houve a transmissão. Ele também não chegou a realizar viagem.  

Demais cidades

A Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos segue monitorando um caso suspeito da doença. A Secretaria de Saúde do município aguarda o resultado de um exame. Por enquanto, a cidade não registrou nenhum caso. Suzano segue com três casos registrado. Um dos pacientes está recuperado. Outros dois estão em isolamento e com bom estado clínico, segundo a Secretaria de Saúde. Outros sete casos suspeitos aguardam resultados de exames. 

Atualmente, Mogi das Cruzes também confirmou três casos. Segundo a Prefeitura, todos permancem estáveis, em isolamento domiciliar e estão sendo acompanhadas . As demais cidades não registraram nenhum caso até o final da tarde desta quarta-feira (3). 

Varíola dos macacos 

A varíola dos macacos é uma doença causada pelo vírus monkeypox. Os sintomas são semelhantes aos da varíola: ela começa com uma febre, dor de cabeça, dores musculares, exaustão e inchaço dos linfonodos. Geralmente, erupções começam a se formar três dias após o início da febre. Elas surgem no rosto e se espalham para outras partes do corpo, como as mãos e os pés. A doença não é tão grave quanto a varíola, mas pode levar o paciente a óbito em alguns casos. Ela é transmitida por vários animais, como roedores e primatas. No entanto, o contágio pode acontecer entre pessoas, após contato direto e indireto. 

 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias