Envie seu vídeo(11) 4745-6900
domingo 28 de novembro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/11/2021
CREA-SP TRANSFORMAÇÃO
PMMC ECONOMIA DE ÁGUA
PMMC PPM
PMMC ISS
SOUSA ARAUJO - SIENA

Loja de Suzano admite atraso em entregas e promete solução a clientes

Diretor afirma que a situação está sendo resolvida e que confusão começou após equívoco de um cliente

Por Thiago Caetano - de Suzano23 OUT 2021 - 09h00
Clientes reclamaram de demora, mas diretor prometeu soluçãoFoto: Regiane Bento/DS
A rede T-Kasa Outlet, que possui uma unidade em Suzano, se defendeu das acusações de estelionato por parte de clientes. Em entrevista ao DS, o diretor geral Luciano Ricardo admitiu o atraso, mas afirma estar resolvendo a situação e que a confusão começou após um equívoco de uma cliente.
 
Tudo começou após os clientes relatarem demora na entrega de móveis planejados. O diretor diz compreender a revolta dos clientes, pede compreensão e garante que a situação será resolvida. Ricardo diz que não se trata de um golpe e sim de um problema momentâneo. Ele explica que a empresa está em recuperação judicial e que presta contas todo o mês para uma administradora. Sendo assim, é impossível haver desvio de dinheiro. “Nós entendemos a revolta, mas não existe golpe. Estamos em recuperação judicial desde 2019. Prestamos conta todo mês para uma administradora judicial. Apresentamos extratos e todas as transações. Sendo assim, não há como haver desvio de dinheiro”, disse Ricardo.
 
Segundo ele, os atrasos ocorreram por diversos fatores. Mesmo assim, a loja cumpriu com os compromissos. Em 2021, foram realizadas 13.187 vendas. Deste número, 11.635 foram entregues. Atualmente, a loja possui 1.552 clientes com compras realizadas e não entregues. Os prazos serão vencidos em outubro (574 pedidos), novembro (602), dezembro (312) e janeiro de 2022 (64).
 
Em nota, a loja afirma não ter conseguido fazer a devolução dos valores dentro do prazo para clientes que solicitaram o estorno. Segundo o diretor, clientes passaram a ameaçar funcionários. Em Suzano, um gerente pediu demissão após ser ameaçado, segundo informou Ricardo. Desta forma, foi decidido que a loja seria fechada por questões de segurança. No entanto, ao retirar os produtos e levá-los para a matriz, em Tatuapé, outro problema surgiu. “Uma cliente fez um vídeo e alegou que estávamos fugindo. Isso assustou os clientes. Uma interpretação equivocada causou essa confusão”, afirmou o diretor.
 
Ainda segundo Ricardo, uma reunião foi realizada na última segunda-feira (18) com representantes de um grupo de clientes. O diretor afirma que ficou acertado um cronograma. No entanto, para o cronograma ser seguido, a loja precisaria abrir. Mas as ameaças prosseguiram e a saída foi entrar em contato com todos os clientes, segundo Ricardo. “Estamos ligando para os clientes e acelerando o processo. Mudamos um pouco do que foi decidido por questões e devemos terminar até domingo, para iniciar a entrega na segunda-feira”.
 
Um dos critérios, o consumidor que comprou por dinheiro, pix ou cartão de débito, a seguir três passos: aceitar produto similar no estoque ou mostruário, aguardar até 15 de dezembro e prometeu fazer uma “ação forte com o restante de saldo e mostruários da loja de Suzano para devolver o dinheiro o quanto antes”. A ideia seria depositar um valor proporcional para o cliente toda a semana. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias