Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 30 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo
SOUZA ARAUJO

Número de vereadores para 2017 é incerto após rejeição de 21 e 17 vagas

30 JUN 2016 - 08h01

A redução do número de vereadores para o próximo ano causou intenso debate na sessão de ontem. A Casa de Leis não definiu quantos legisladores vão ocupar o plenário em 2017, ou seja, a decisão de permanecer 21 ou reduzir para 17 não foi estabelecida. Agora, a decisão terá de ser tomada antes das convenções partidárias. A votação para as decisões foi acirrada, uma vez que 11 vereadores foram favoráveis a alteração e dez contrários. Seriam necessários 14 votos. O vereador do PSC Luiz Carlos da Costa, o Pastor Luiz Carlos, questionou se a mudança realmente causaria um impacto positivo no orçamento do município. “Se fosse para economizar, o ideal seria rejeitar o aumento de legisladores, que subiu de R$ 10 mil para R$ 12,5 mil”.

O pronunciamento foi rebatido pelo legislador André Marcos de Abreu (DEM), o Pacola. “Como não existe economia? Quatro vereadores e 20 assessores a menos teria uma economia em quatro anos de quase R$ 8 milhões. Precisamos de médicos, e melhorar a saúde”.

Favorável a permanência de 21 para a legislatura de 2017, o vereador Alceu Matias Cardoso (PRB), o Pastor Alceu, apresentou uma emenda em que propõem que o salário seja facultativo.

Sua justificativa é de que o atual quadro de vereadores é indispensável, pois o município conta com uma extensão territorial grande. “Considero que sendo facultativo, a remuneração proporcionaria uma economia no orçamento anual da municipalidade”.

Já o autor da emenda substitutiva (redução), o tucano Claudio Anzai, justificou que a redução é decorrente, inclusive, da atual conjuntura da economia no País. “Se reduzirmos, iremos economizar. Cabe a próxima mesa diretiva como a economia será utilizada. Eu e mais outros dez vereadores entendemos que o número é razoável para o município”. Além disso, o líder tucano do Legislativo suzanense deu exemplos de outras cidades e o quadro de legisladores.

Em contrapartida, o presidente da Casa de Leis, Denis Claudio da Silva (DEM), o Filho do Pedrinho do Mercado, afirmou que a mudança não tem como objetivo a economia do município, mas que tem cunho político. “Me causa estranheza esta redução. O mesmo assunto foi abordado no começo do ano. O PT apresentou a proposta, e o PSDB a rechaçou”.

Ele enfatizou dizendo que o Legislativo não tem o direito de tirar a possibilidade de novos pré-candidatos a assumirem as cadeiras, uma vez que muitos já estão em fase de trabalho. “Eles têm já uma atuação e criaram uma expectativa. Agora o que leva o partido a mudar de opinião? Se estão tentando prejudicar candidatos, eu não sei. Uma dica de economia: exonere dois assessores amanhã”.

APROVADOS

Apesar do intenso debate sobre a redução e permanência de vereadores para o próximo pleito, a Câmara aprovou cinco projetos de lei e uma outorga de Título de Cidadão Suzanense ao ex-vereador Pedro da Silva, o Pedrinho do Mercado. A propositura é de autoria do vereador Valmir Calixto Damasceno de Oliveira (PSDB), o Doutor Valmir.

 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias