Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 13 de abril de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 11/04/2021
CENTRO MÉDICO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
São Paulo Secretaria da Educação
Magic City

Particulares realizam carreata e pedem volta das aulas presenciais

Decisão final dependerá da diminuição na taxa de ocupação de leitos para Covid-19 na cidade

Por Matheus Cruz - de Suzano08 MAR 2021 - 23h45
Protesto reuniu funcionários e representantes das escolas particularesFoto: Isabela Oliveira/DS
Funcionários e representantes das escolas particulares de Suzano realizaram na manhã desta segunda-feira (8) uma carreata para pedir o retorno das aulas presenciais. O ato reuniu cerca de 25 carros, - sendo um de som -, que se concentraram em frente à Secretaria Municipal de Educação. 
 
No local, o secretário da pasta, Leandro Bassini, recebeu dois dos representantes para uma reunião. Após a conversa - que durou aproximadamente uma hora -, ficou alinhado que a Prefeitura estudará a possibilidade da reabertura nas escolas privadas, entretanto, a decisão final ainda dependerá dos estudos feitos sobre o número de contaminados e a taxa de ocupação de leitos para Covid-19 nos hospitais da cidade. Após isso, uma resposta será dada nesta sexta-feira (12).
 
Mesmo após a reunião com o secretário, a carreata seguiu pelas ruas da cidade e se dirigiu à Prefeitura. O objetivo dos manifestantes era encontrar o prefeito Rodrigo Ashiuchi. Entretanto, o chefe do Executivo suzanense estava resolvendo atividades relacionadas ao Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), que tem sua sede em Mogi das Cruzes. Coube ao secretário de Governo de Suzano, Alex Santos, ouvir as demandas dos manifestantes no prédio da Prefeitura. 
 
No local, as lideranças reafirmaram a necessidade de as atividades presenciais voltarem a ocorrer nas escolas. “Fizemos uma série de investimentos para garantir a segurança de todos os alunos e funcionários. Agora fomos surpreendidos com esse fechamento”, destacou Miriam Barbosa Monteiro, uma das representantes das escolas particulares. 
 
De acordo com o secretário Alex Santos, será feito um estudo com o Comitê de Enfrentamento ao novo coronavírus, e, após isso, será possível ter alguma definição sobre o tema.
 
“Sabemos que todos precisam trabalhar e as crianças precisam estudar. Mas hoje estamos passando por um momento muito grave. Primeiro vamos fazer uma avaliação do cenário pandêmico e, entendendo que existem leitos desocupados, baixa na taxa de óbitos e de contaminação, conseguiremos fazer uma retomada gradual. Antes disso não podemos ter qualquer decisão”, destacou o secretário.
 
Apesar de ainda seguirem sem uma definição até o próximo dia 12, o representante das escolas privadas do município, Robson Deodato Monteiro, avaliou que a carreata foi proveitosa e, por enquanto, o sentimento é de boas expectativas.
 
“Foi produtivo pois conseguimos ser ouvidos para expor nossas dúvidas e entender melhor o porquê do fechamento. Esperamos ter uma boa notícia na sexta-feira”, completou. Além dos funcionários das escolas, quatro motoristas de vans escolares marcaram presença na carreata. A classe é uma das mais atingidas desde o início da pandemia, já que na maior parte do tempo, as aulas estavam suspensas.
 
“Estamos aqui apoiando o retorno porque sabemos que isso representa a melhoria deste cenário caótico que estamos vivendo. Espero que as aulas presenciais voltem e também possamos voltar com nossas vidas ao normal”, disse o motorista Edson de Araújo, o Tio Ed.
 
Suspensão das aulas ocorre por causa dos picos de casos de Covid-19
 
O Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus informou que na última quinta-feira (04/03) optou pela suspensão das aulas presenciais até 15 de março, uma vez que a cidade teve pico de casos, contabilizando 1.177 pessoas infectadas nos últimos 14 dias. A semana que passou também foi marcada pela saturação dos hospitais da região, tendo registrado 100% de ocupação em diversas unidades de Saúde do Alto Tietê, inclusive no Pronto-Socorro de Suzano.
 
A medida foi tomada após entendimento da Secretaria Municipal de Saúde junto às secretarias municipais de Educação e de Assuntos Jurídicos, bem como o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) – o órgão, por meio do “Conselho de Prefeitos” definiu o fechamento das unidades escolares em 90% das cidades da região.
 
O objetivo, segundo a Prefeitura de Suzano, foi garantir a redução da circulação de todos os envolvidos (alunos, professores, funcionários, transportadores escolares etc) e, assim, conter o avanço dos casos de contaminação pela Covid-19.
 
“É importante destacar também que o decreto municipal nº 9.586/2021 estipulou, no artigo 8º, nova avaliação até 15 de março de 2021, ou seja, ainda nesta semana haverá um estudo por parte do comitê suzanense”, informou. 
 
Sobre a manifestação, representando as quase 25 pessoas, sendo a maioria de uma única instituição particular, duas pessoas do Conselho Municipal de Educação foram atendidas pela Prefeitura, que, na oportunidade, apresentou a situação atual da pandemia em Suzano e os casos de óbitos de profissionais do setor na cidade. 
 
“Por fim, a Prefeitura pede a compreensão de todos, principalmente diante do cenário pandêmico em que a cidade já registrou 385 mortes, o Estado 61.463 e o Brasil 265.411, além da lotação em todos os hospitais do País. Lembre-se: evite sair de casa e, se for necessário, utilize máscaras e álcool em gel, sempre respeitando o distanciamento social. Respeitar as medidas restritivas é também respeitar a vida”.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias