Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 18 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE
PMMC COVID LAR

Peixarias passam por fiscalização e alertam consumidores

02 MAR 2016 - 08h01

As peixarias de Suzano dão dicas aos consumidores após fiscalização realizada pelos fiscais federais agropecuários. O objetivo é garantir a qualidade dos peixes, tradicionalmente mais consumidos no período da Quaresma e também na Semana Santa. O motivo é que devido o aumento do consumo, também cresce o número de fraudes, como adição de água e até mesmo a substituição de espécies dos produtos. O linguado e bacalhau são os principais alvos. Eles são trocados por peixes de menor valor, como o panga, o alabote e a polaca do Alasca. A merluza, o congro, a pescada, garoupa e até mesmo a carne de siri também podem ser substituídos.

Outro ação é o congelamento dos peixes. Por conta disso, eles ficam mais caros, perdem o real sabor e os consumidores pagam mais caro. Segundo os comerciantes, o prejuízo para os clientes é de aproximadamente 10%. "Vieram aqui fiscalizar no final do último ano. Geralmente pegam o peixe e observam a porcentagem do peso bruto. Com isso, conseguem saber o peso líquido para ver qual o verdadeiro peso e valor a ser pago. Nós não saímos prejudicados, mas os clientes normalmente saem, porque os peixes já vêm congelados. Os clientes devem prestar muito atenção na hora de comprar e o principal é observar se o peixe está fresco", disse o comerciante Marcos do Vale Pardo.

O peixeiro Anderson Aparecido da Silva deu dica aos consumidores na hora de comprar o peixe. "Para se prevenir dos golpes, a população tem que primeiro de tudo olhar se o alimento está fresco. Após isso, deve verificar se ele tem brilho, olhos, escamas fixas ao corpo e o modo de conservação em que ele está. Assim, fará uma compra ótima e segura".

As empresas aonde são constatadas a fraude por substituição de espécies, são autuadas e respondem processos administrativos com aplicação de multas.O fiscal federal agropecuário Paulo Humberto de Lima Araújo explicou quais órgãos os clientes devem procurar para garantir os respectivos direitos. "Nossa orientação aos consumidores nos casos de suspeitas é o de encaminhamento de denúncias principalmente pela Ouvidoria do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) pela internet ou pelo telefone. As denúncias são registradas e o envio das respostas pode ser feito por e-mail ao final da averiguação. Sempre informamos que as denúncias de consumidores são muito importantes, pois ajudam a melhor direcionar nossas ações de controle".

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias