Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 11 de dezembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 10/12/2019
COLÉGIO PLENITUDE
Evatânia Psicopedagoga
Região

Prefeitos se mobilizam para impedir pedágio na Rodovia Mogi-Dutra

Presidente do Condemat, Rodrigo Ashiuchi comunica posição contrária e avisa sobre mobilização do Alto Tietê para barrar a proposta

Por da Região25 OUT 2019 - 00h04
Prefeitos se mobilizam para impedir pedágio na Rodovia Mogi-DutraFoto: Paulo Pavione/Secop-Suzano
Os prefeitos do Alto Tietê não concordam com a implantação de pedágio na Rodovia Mogi-Dutra (SP-88) e estão mobilizados para impedir que a proposta avance. O recado para o Governo do Estado foi dado nesta quinta-feira (24) pelo presidente do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), prefeito Rodrigo Ashiuchi, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de São Paulo, que tratou justamente do tema mobilidade e teve a presença do secretário estadual João Octaviano Machado Neto, de Logística e Transportes.
 
O presidente do Condemat deixou claro para os representantes estaduais e prefeitos que integram o Conselho Metropolitano que a proposta de pedágio, parte do projeto de concessão das Rodovias Mogi-Dutra e Mogi-Bertioga divulgado na segunda-feira pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), não será aceita pelos prefeitos. A medida, segundo Ashiuchi, inviabilizará atividades econômicas essenciais para a região, como a agricultura e indústria, além de prejudicar estudantes, trabalhadores e moradores dos bairros da Divisa e de condomínios residenciais.
 
"A Rodovia Mogi-Dutra é a ligação das cidades da Região com as rodovias que levam para São Paulo, Vale do Paraíba e Rio de Janeiro. Milhares de pessoas passam diariamente por ela para estudar e trabalhar, além dos caminhões e carretas com alimentos cultivados na região e mercadorias produzidas pela indústria", sustentou o presidente do Condemat.
 
“Demoramos anos para conseguir a duplicação do primeiro trecho da Rodovia e só agora o segundo trecho, entre Mogi e Arujá, está sendo duplicado. Colocar um pedágio na Mogi-Dutra comprometerá todas as melhorias e vai inviabilizar o desenvolvimento das nossas cidades”, completou Ashiuchi.
 
O secretário estadual João Octaviano Machado Neto evitou se comprometer sobre o assunto no Conselho Metropolitano e transferiu para a Artesp a decisão sobre o pedágio na Mogi-Dutra. “Vamos nos reunir com a Artesp para eles decidirem”, informou.
 
O presidente Ashiuchi adiantou que o Condemat vai se mobilizar com deputados federais e estaduais, vereadores e outras lideranças para impedir que a proposta do pedágio na Mogi-Dutra seja levada adiante. “É importante que o projeto de concessão das rodovias seja revisto sem essa ideia e que ele seja amplamente discutido com a população e representantes das cidades envolvidas”, defendeu.
 
Ainda sobre a Mogi-Dutra, o presidente do Condemat pediu ao Estado o cumprimento do prazo para entrega das obras de duplicação no trecho entre Mogi e Arujá e a inclusão de um dispositivo de acesso em Arujá, caso contrário, será criado um gargalo no trânsito local.
 
O presidente do Condemat também defendeu as obras de duplicação da Rodovia SP-53, entre Santa Isabel, Arujá e Itaquaquecetuba, que vai gerar empregos e melhorar a logística da região, e reivindicou mais uma vez a implantação da alça de saída do Rodoanel na Rodovia SP-66. O prefeito Ashiuchi lembrou que o Trecho Leste está em funcionamento desde 2014 e a ausência do dispositivo prejudica a logística para as empresas instaladas no Alto Tietê.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias