Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 29 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/09/2020
Pmmc Sarampo
ÚNICCO POÁ
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
SOUZA ARAUJO

Presidente da Câmara quer separar eleições das ações legislativas em 2016

19 DEZ 2015 - 07h01

Muitos desafios, discussões e trabalho. Para o presidente da Câmara de Suzano, Denis Claudio da Silva (DEM), o Filho do Pedrinho do Mercado, esta frase resume o que foi o ano de 2015. Para o próximo ano, ele quer que os trabalhos legislativos sejam separados das campanhas eleitorais, já que muitos vereadores devem sair candidatos.

Demonstrando satisfação com as ações que foram desenvolvidas pela casa, o democrata recebeu a reportagem do DS para uma entrevista e fez um balanço detalhado deste ano. Ao todo, de janeiro a dezembro, a Casa de Leis da cidade aprovou 170 projetos leis, sendo 41 de autoria do Executivo e 129 dos vereadores. Além disso, 173 moções foram apresentadas e aprovadas. A câmara está de recesso desde o dia 10 deste mês e volta a atuar no dia 3 de fevereiro.

Entre outras aprovações, ele apontou o projeto de lei do Executivo que trata sobre a concessão remunerada para a exploração do Serviço Funerário Municipal como um dos grandes ganhos para a comunidade suzanense no ano.

O maior desafio previsto no retorno das atividades parlamentares será separar todas as especulações políticas relacionadas à próxima eleição municipal, agendada para outubro de 2016, e fazer com que a Câmara desenvolva suas tarefas normalmente.

Diário de Suzano: Como o senhor avalia a produção legislativa da Câmara em 2015?

Denis Claudio da Silva, o Filho do Pedrinho do Mercado: Não só esse ano, mas desde o início do nosso mandato, os trabalhos da Câmara têm sido bastante produtivos. Temos um número elevado de projetos apresentados, moções, requerimentos, indicações. Isso demonstra que os vereadores estão bem atuantes.

DS: Quais foram os projetos mais importantes aprovados neste ano?

Filho do Pedrinho do Mercado: Na semana passada, a cidade deu um passo muito importante votando favorável o projeto que o Executivo mandou que foi em relação às funerárias. Um descaso que acontece junto à população que no momento de muita dor a pessoa acaba assinando qualquer papel. Embora alguns vereadores tenham votado contra, e a gente tem que procurar entender o porquê disso, eu acho que a Prefeitura avançou muito nesse sentido, onde temos o exemplo de nossa cidade vizinha, Mogi das Cruzes, onde hoje é oferecido um serviço digno a um preço compatível, enquanto que aqui em Suzano não. Aqui as pessoas olhavam pela cor dos olhos. Esse parece que tem dinheiro então vamos tomar mais, desse aqui vamos tomar menos.

DS: Quais foram outros debates relevantes da Casa de Leis?

Filho do Pedrinho do Mercado: Tivemos muitos assuntos relevantes discutidos e votados. A saúde, por exemplo, que é muito discutida na cidade, não temos um projeto específico, mas existem muitas coisas que precisam ser resolvidas. O que acontece é que o País vive uma crise muito grande e o governo federal deixou de passar os repasses e não fala nada sobre o porquê não esta pagando. Então temos vários problemas na saúde do município. A oposição cobra o Estado, mas ele está fazendo a parte dele, temos os hospitais referencias na cidade, temos a construção do Hospital Estadual que deve ser inaugurado no 1º semestre do ano que vem. Temos problemas mas estamos correndo atrás.

DS: Como o senhor avalia a proximidade entre a Câmara e a população?

Filho do Pedrinho do Mercado: Sempre digo que o vereador é a pessoa mais próxima da população. A função dele é estar junto com a comunidade e o vereador é o primeiro a ser procurado pela comunidade. A gente sabe que o prefeito (Paulo Tokuzumi - PSDB) não consegue atender todo mundo, já o vereador pode abrir a porta para a comunidade. Então o vereador é a primeira pessoa que o eleitor cobra, existe muita cobrança junto à administração por parte dos vereadores. E nós temos que dar uma resposta para o povo. Fomos eleitos pelo povo e devemos satisfação a eles.

DS: Como foi a relação entre a Câmara e a Prefeitura neste ano?

Filho do Pedrinho do Mercado: Esse ano nenhum vereador pode reclamar da atual administração em relação a atendimento, até os vereadores da oposição. Os vereadores da oposição no passado não eram atendidos nem pelo prefeito do partido deles e hoje são atendidos pelo prefeito do partido de oposição. Hoje o prefeito Paulo Tokuzumi atende a todos da melhor maneira possível, sempre tentando solucionar os problemas que são levados até ele.

DS: Como o senhor avalia a relação entre os vereadores da base e da oposição?

Filho do Pedrinho do Mercado: Aqui dentro a gente tenta ter um convívio normal, mas como o nome diz: é oposição. Não tem jeito. Muitas vezes o projeto chega em caráter de urgência e não é votado porque é de urgência. Se tramita também não pode votar por outro motivo. Muitas vezes não dá para entender. Existe uma turma, e não estou falando de PT, mas sim dos politiqueiros que acreditam que quanto pior, melhor. A oposição só não pode ser contra o povo. E os politiqueiros da cidade fazem oposição contra o povo, eles não querem que a cidade melhore, a verdade é essa.

DS: O ano que vem é um ano eleitoral. Como fazer para que isso não influencie nos trabalhos da Câmara?

Filho do Pedrinho do Mercado: É muito difícil prever como será o ano com as eleições, mas o certo é que a eleição tem que ficar fora da casa, a Câmara não pode participar das eleições. Aqui dentro da Câmara é para discutir assuntos referentes à casa. As eleições ficam fora. Ela tem que ser feita na rua, pedindo voto, mostrando o que você fez na Câmara durante os últimos anos para se manter no cargo. Quem fez um bom trabalho será reeleito. Não tem que se preocupar.

DS: Mas o senhor acredita que a produtividade da Câmara pode cair?

Filho do Pedrinho do Mercado: Por ser um ano eleitoral a gente sabe que naturalmente o número de projetos tende a cair. A verdade é que o vereador também acaba focando nas eleições. Todos que estão aqui querem permanecer e outros tantos querem assumir essas 21 cadeiras. Perde um pouco o foco, mas nós não podemos perder o direcionamento da cidade, existem os projetos e demandas que têm que ser apresentadas e aqui dentro da Câmara. Apesar das eleições vamos pensar apenas em administrar.

DS: No próximo ano, a nova sede da Câmara será entregue. O senhor acredita que a nova instalação pode facilitar o trabalho dos vereadores?

Filho do Pedrinho do Mercado: Primeiro de tudo eu acho que a população de Suzano que irá ganhar um espaço mais digno. Nós viemos para o local atual desde 2001, a estrutura já está saturada, tanto nos gabinetes, como ao acesso para a população. Recentemente já saiu um ofício na portaria da Câmara solicitando uma indicação dos membros que farão a vistoria do novo prédio para ver se a obras estão de acordo com o contrato. A previsão é de que até maio, junho, já tenhamos mudado para lá.

DS: Qual avaliação o senhor faz de suas ações à frente do Legislativo em 2015?

Filho do Pedrinho do Mercado: Foi um ano muito produtivo, os problemas políticos apareceram, não tem como deixar de lado. Mas a Câmara de Suzano vem procurando ajudar a cidade a se desenvolver. O grande pensamento que tento levar para a casa é o bem para a cidade. O que for melhor para a cidade nós vamos votar. Essa é visão que temos que ter.

DS: O senhor sairá como candidato a vereador no próximo ano?

Filho do Pedrinho do Mercado: Sou candidato a vereador. Vamos ver se o povo me aprova (risos). Acredito que o trabalho que a gente fez nos colocou no caminho certo. Sempre falo que se cada um fizer um pouquinho, conseguiremos fazer uma cidade melhor, um Estado melhor, e isso, acho que eu venho fazendo. Pelo menos é o que venho sentindo junto à comunidade .

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias