Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
quarta 16 de junho de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/06/2021
MAGIC CITY - CAMPANHA SOLIDÁRIA
EDP SEGURANÇA

Produção da Coronavac é suspensa e pode prejudicar vacinação na região

Instituto Butantan paralisou a produção da Coronavac nesta sexta-feira (14) por falta de insumos

Por Matheus Cruz - de Suzano15 MAI 2021 - 10h00
Para se ter ideia do impacto, desde o início da vacinação, a região recebeu cerca de 910 mil doses de imunizantes, 60% delas são referentes a CoronavacFoto: Irineu Júnior/Secop Suzano
O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), alertou o risco de desaceleração da campanha de imunização contra a Covid-19 no Alto Tietê. Isso porque, o Instituto Butantan, que produz a vacina Coronavac, está sem insumos para dar continuidade na produção de novas doses e interrompeu a produção do imunizante na tarde desta sexta-feira. 
 
Para se ter ideia do impacto, desde o início da vacinação, a região recebeu cerca de 910 mil doses de imunizantes, 60% delas são referentes a Coronavac. Para retomar a produção, o Butantan aguarda a chegada de dez mil litros do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) que virá da China, contudo, não há prazo para a chegada. 
 
De acordo com a coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do consórcio, Adriana Martins, a desaceleração da produção da CoronaVac pode afetar o ritmo da vacinação na região. 
 
“Mais de 60% das doses aplicadas são CoronaVac. A ausência de um tipo de imunizante pode atrasar ainda mais o processo de imunização em todo o país, no entanto os municípios seguem preparados para avançar com as campanhas à medida em que forem recebendo novas doses”, disse. 
 
Nesta sexta-feira, o Condemat recebeu um novo lote com 31.150 doses de CoronaVac. As vacinas serão destinadas à aplicação de segunda dose para idosos de 64 anos e para primeira dose de gestantes e puérperas com comorbidades. 
 
No caso do grupo de gestantes com comorbidades, a vacina substitui as doses de AstraZeneca que foram recebidas na semana passada, porém tiveram sua aplicação neste grupo suspensa pelo Ministério da Saúde, atendendo recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após a morte de uma gestante que havia tomado o imunizante. 
 
Com o recebimento do novo lote, a coordenadora da Câmara Técnica de Saúde destacou a importância do reforço, inclusive para a conclusão da imunização em um dos grupos de idosos da região. 
 
“Nossa preocupação inicial era que faltassem vacinas para segunda dose para os grupos que já tomaram a primeira deste imunizante, porém com este novo lote recebido hoje conseguimos fechar um grupo de idosos e iniciar a imunização das gestantes e puérperas com comorbidades”, destacou. 
 
Ações 
 
Desde o início da campanha de vacinação, o Condemat atua na busca para acelerar a imunização na região. O consorsio já realizou a assinatura de dois termos de intenção de compra de vacinas: Grupo União Química (Sputnik V) e Butantan (CoronaVac). Além disso, a maioria dos municípios aderiu ao consórcio para aquisição de vacinas da Frente Nacional de Prefeitos. 
 
“Estamos trabalhando para que a imunização não sofra interrupção e não fazemos distinção de laboratório e fabricante. O importante para nós é que a vacina tenha sua eficácia comprovada e esteja devidamente aprovada pela ANVISA”, reforçou Adriana.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias