Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 13 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 12/12/2017
mrv
Em Suzano

Reajuste de 8,9% do gás de cozinha começa a ser aplicado hoje em Suzano

Nova política adotada pela estatal prevê a revisão mensal dos preços. O DS esteve em quatro postos

Por Lucas Lima - De Suzano06 DEZ 2017 - 11h07
Gás de cozinha deve ficar até R$ 4 mais caro em SuzanoFoto: Sabrina Silva/Divulgação
O preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha, deverá subir cerca de R$ 2,53 a partir desta quarta-feira (6), em Suzano. O aumento do valor acompanha o reajuste de 8,9% para este mês as distribuidoras, estabelecido na última segunda-feira (4) pela Petrobras. O DS esteve em quatro postos e constatou que o preço do botijão de gás na cidade pode crescer até R$ 4, chegando assim a R$ 76. Segundo os comerciantes, a inevitável instabilidade dos valores dificulta as vendas e gera muitas reclamações dos clientes.
 
Os novos valores repassados variam de acordo com cada comércio. Na Vila Amorim, por exemplo, o preço em uma distribuidora estava R$ 57 para retirada no local e R$ 63 para entrega. De acordo com o atendente Marcelo Henrique da Silva, o botijão de gás subiria mais de R$ 2. "Infelizmente vai aumentar e com certeza os clientes vão reclamar. Deve acontecer outro reajuste em breve e toda vez temos que tomar o maior cuidado para não atingir a população com um preço abusivo", lamentou.
 
Pensando nisso, o gerente de uma distribuidora na Vila Urupês, Marcos Caetano, disse que desde o anúncio da petrolífera realizou cálculos para ver quanto seria repassado na integra o preço para os consumidores. Segundo ele, o valor subiria até R$ 4. Desta forma, o botijão de gás de cozinha no local chegaria até R$ 76 para a entrega. Isso porque até ontem era cobrado por R$ 72.
 
"Estamos estudando todas as possibilidades. Sabemos que os clientes irão reclamar, como vêm fazendo, mas também não podemos sair prejudicados. A situação é complicada, pois é aumento em cima de aumento, ninguém aguenta assim". 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias