Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 29 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
Pmmc Sarampo
ÚNICCO POÁ
SOUZA ARAUJO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Região tem 102 áreas de risco. Operação Verão começa na terça

29 NOV 2015 - 07h01

A chegada do verão traz, junto com as altas temperaturas, o período de chuvas. As águas tão aguardadas pelos habitantes do Alto Tietê - para conter a crise hídrica - por outro lado vêm acompanhadas de alertas. Atualmente, Suzano, Ferraz de Vasconcelos, Mogi das Cruzes e Poá, somam 102 áreas de risco, que serão monitoradas na Operação Verão a partir de terça-feira.

A cidade mogiana tem o maior número de áreas da região: 38. Além disso, 88 locais são monitorados pela Defesa Civil. Segundo o secretário de Segurança de Mogi, Eli Nepomuceno, a cidade não possui áreas de risco iminentes, mas todas elas são monitoradas. Atualmente, a cidade tem cinco áreas de risco de deslizamento com 178 famílias, seis áreas com risco de inundação, onde moram 607 famílias e 27 locais com risco de alagamento.

"Durante o ano, a Prefeitura realiza medidas, preventivas - limpeza de córrego, galerias e desassoreamento de rios -, e as corretivas, rebaixamento de fundo de rios, remoção de pessoas de áreas de risco, entre outras. As ações visam minimizar os impactos das chuvas. Contudo, no período do verão a administração se mobiliza para atender as pessoas que necessitarem", explica.

Mogi inicia a Operação Verão na terça-feira. A ação é realizada até 31 de março de 2016. Entre as pastas que participam da iniciativa estão Segurança, Transporte, Serviços Urbanos, Assistência Social, Educação, Esportes e Saúde. "Nossa grande preocupação é conscientizar a população sobre o período de chuvas e alertar para o encaminhamento correto do lixo. Em Mogi temos o Cata Tranqueira, que recolhe mobiliário e eletrodoméstico, além de dois ecos pontos para os recicláveis".

Suzano afirmou, por meio de nota, que Defesa Civil já está em fase de revisão das ações do Operação Verão e reforçou que ao longo do ano equipes trabalharam na atualização do mapeamento e monitoramento das áreas que tem um grau mais elevado de risco para avaliar, por exemplo, se um desmatamento aumentou o risco de deslizamentos ou se obras de drenagem e pavimentação, diminuíram a possibilidade de enchentes e alagamentos.

A Prefeitura não informou o número de áreas de risco existentes na cidade. Conforme matéria publicada pelo DS, em janeiro, o município possui 30 áreas de risco. As principais áreas com risco de deslizamento são no Miguel Badra, Jardim Revista, Vila Fátima, Parque Buenos Aires, entre outros. Já em relação a alagamentos, a Defesa Civil disse que monitora a cidade como um todo, já que não só áreas próximas a córregos sofrem, como também pontos na região central.

De acordo com a Defesa Civil de Ferraz, 15 locais já estão sendo monitorados. São eles a Vila Margarida; Vila Jamil; Vila Cristina; Vila Maria; Vila Santo Antônio; Parque São Francisco; Jardim Europa; Jardim São Fernando; Jardim São José; Vista Verde; Jardim São Lázaro; Jardim José Ferreira; Jardim Nossa Senhora do Caminho; Jardim Pérola e Jardim Angelina. Na cidade, a Operação Verão teve início em outubro e vai até março de 2016. Até agora, o município atendeu 172 ocorrências.

Em Poá, a Defesa mapeou 19 áreas como de risco. Entre os locais mais propensos a alagamentos está a área central do município. Ao longo do ano foram realizadas obras de contenção (captação e escoamento de águas pluviais), limpezas de córregos e galerias, além de palestras nas comunidades. Entre as maiores preocupações da municipalidade hoje está o acumulado de chuvas de três dias. Em casos de emergência a população pode entrar em contato com a Defesa Civil por meio do 199.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias