Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 22 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/10/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo Outubro
Reisinger Ferreira
ÚNICCO POÁ
PMMC OUT ROSA
Cidades

Santa Maria faz cirurgia inédita para correção de coluna

Procedimento durou aproximadamente seis horas e foi bem-sucedido

Por de Suzano01 OUT 2020 - 13h54
Santa Maria faz cirurgia inédita para correção de colunaFoto: Regiane Bento/Divulgação
O Hospital Santa Maria de Suzano, mantendo a meta de investimentos permanentes em alta complexidade e vocação para a pesquisa e ineditismo, realizou a primeira cirurgia no município para correção da cifose (corcunda) e escoliose, que provocam graves deformidades na coluna vertebral, prejudicando a qualidade de vida do paciente e podendo levar a sérios problemas de mobilidade no futuro.
 
O procedimento comandado pelo médico ortopedista e cirurgião de coluna, Adalberto Bortoletto, da clínica Coffi, durou aproximadamente seis horas e foi bem-sucedido. Eles eliminaram a denominada Doença de Scheuermann, transtorno no crescimento da coluna que levava um jovem de 17 anos a ter dolorosa má-postura.
 
Os especialistas corrigiram a deformidade com técnica que utiliza hastes e parafusos de titânio para alinhar novamente a estrutura da coluna, que apresentada acentuada curva. A previsão é de que o ele esteja andando normalmente dentro de poucos dias, com a postura adequada e livre das fortes dores que o atormentavam.
 
Todo o processo foi monitorado pelo método Potencial Evocado, que permite o acompanhamento dos estímulos nervosos - são acoplados eletrodos que indicam na tela do computador a introdução exata dos materiais nas vértebras, visando evitar lesões na parte neurológica, garantindo eficiência e segurança para todos os envolvidos.
 
O procedimento só pode ser realizado em hospitais como o Santa Maria, que possui estrutura moderna e completa no centro cirúrgico, com equipes multidisciplinares tecnicamente preparadas e todo o respaldo da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
 
Caso a operação não tenha sido feita, o jovem poderia sofrer futuramente com problemas sérios no pescoço e bacia, correndo até o risco de não andar mais. O sucesso da cirurgia é considerado um avanço dentre os hospitais e referência para a Região do Alto Tietê, evitando que pacientes se desloquem para São Paulo ou outros grandes centros para se submeter à cirurgia.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias