Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 13 de abril de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 11/04/2021
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
São Paulo Secretaria da Educação
CENTRO MÉDICO
Magic City
Fase Vermelha

Suzanenses dividem opiniões sobre efetividade da Fase Vermelha

Primeiro dia de restrições da nova fase foi marcado por comércios fechados e poucas pessoas nas calçadas

Por Matheus Cruz06 MAR 2021 - 16h46
Primeiro dia na nova fase foi marcado pela maioria das lojas fechadasFoto: Regiane Bento/DS

A cidade de Suzano já está seguindo as medidas restritivas da Fase Vermelha do Plano São Paulo. Com apenas serviços considerados essenciais podendo funcionar, o primeiro dia na nova fase foi marcado pela maioria das lojas fechadas e poucas pessoas nas ruas. A medida, porém, gera controvérsia entre a população.

O DS foi às ruas do comercio local - seguindo as medidas sanitárias – e o cenário era de ruas tranquilas, de pouco movimento. Com a maioria dos comércios fechados, o trânsito de pessoas nas calçadas também estava reduzido.

De acordo com a dona de casa Marina Costa, 56, a medida já é ineficaz, já que foi tomada muito tarde. “Se eles decidissem fechar tudo logo no começo, acredito que já não estaríamos passando por isso hoje. Fora que não são todos que respeitam, é muito triste”, disse.

Além de Suzano, todas as cidades do Alto Tietê e do estado de São Paulo também estão na Fase 1-Vermelha do Plano São Paulo. A medida faz parte do plano para tentar conter o avanço do novo coronavírus, já que nesta sexta-feira (6), o estado de São Paulo atingiu o maior número de pacientes internados em UTIs. Foram 8.093. Somando os pacientes internados em enfermarias, o estado contabiliza mais de 18 mil pessoas internadas, o maior número já atingido desde o início da pandemia.

Com esses números, o aposentado Sabino da Silva, 82, acredita que o fechamento dos serviços não essenciais é a maneira mais efetiva de evitar novos contágios. Ao DS, ele destacou a angústia de ver os hospitais da região atingindo lotação máxima nas UTIs.

“É triste pensar que posso precisar de uma UTI e não terei como ser atendido. Queria que as pessoas tivessem essa noção. Não é porque sou idoso, qualquer um está sujeito, e qualquer um não poderia ser atendido”, lamentou.

Nesta semana, o governo do Estado informou que vai abrir 80 leitos destinados a pessoas com o novo coronavírus (Covid-19) no Alto Tietê. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a previsão é de que eles sejam entregues ainda no mês de março.

“A fase vermelha é positiva porque restringe as pessoas de aglomerarem. Por outro lado, olha esses comércios fechados, deve ser angustiante para os comerciantes. Mas não tem o que fazer, a população não respeita”, destacou o encarregado de manutenção Reginaldo Silva, 45.

Na contramão, o autônomo Antônio Anie, 20, considera que nada vai adiantar. “As pessoas não respeitam. Se trabalhassem a conscientização, seria diferente, mas na prática não muda nada”, completou.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias