Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 28 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Suzanenses gastam 28% do salário mínimo comendo fora de casa

30 JUL 2016 - 08h01

Por falta de opção e a fim de reduzir custos, os suzanenses gastam 28% do salário mínimo em alimentações fora de casa. Atualmente os restaurantes da cidade atendem uma média de 600 consumidores por dia. Os estabelecimentos ainda oferecem outros tipos de serviços como atrações e variedades de comidas.

O preço do quilo nos estabelecimentos é encontrado de no mínimo R$ 28,90. Carnes de churrasco também são inclusas. Já o famoso prato feito e marmitex são achados na média por R$ 11. Em todos os restaurantes há no mínimo 60 tipos de variedades de pratos, que vão desde o tradicional arroz e feijão, comida japonesa e até mesmo salgados.

De acordo com o proprietário de um restaurante, Nelson dos Santos Junior, a população tem optado pela marmitex por ser mais em conta e pesar menos no orçamento. "Por conta de a matéria-prima estar cara hoje em dia, muita pessoas estão escolhendo comprar comida pronta em refeitórios. Se para nós que compramos em grande quantidade temos desconto e já é pesado, imagina para os cidadãos. Muito caro", enfatizou.

A comerciante Marisa Miranda de Oliveira falou que outros serviços são oferecidos a fim de atrair mais clientes, já que a crise está afetando todos os comércios. "Trabalhamos com diversas coisas que chamam atenção dos consumidores. Temos karaokê, apresentações de cantos durante as refeições, entre outros. Como estamos em tempo de crise econômica, todo diferencial traz mais destaque a empresa", explicou.

POPULAÇÃO

Os suzanenses concordam que o custo sai menor quando compram marmitas ou comem nos estabelecimentos comerciais. Segundo a pedagoga Sarah Vecchio, o prato feito é a melhor opção. Porém, prefere se alimentar em sua casa. "Do jeito que a situação financeira está hoje, tenho que comer comidas prontas por saírem mais em conta. Gostaria de ter o privilégio de me alimentar em casa, mas fica muito caro", lamentou.

A vendedora Talita Vieira disse que economiza aproximadamente R$ 180 por mês comprando marmita. "Como trabalho no Centro e não dá tempo de ir para minha casa, acabo me alimentando por marmitex. É mais prática e também barata para o meu orçamento. Vou manter esse ritmo por um bom tempo".

A lojista Daielen Figueiredo comentou que a alimentação em casa é mais saudável, mas que raramente consegue esse efeito. "Queria conseguir ir todo dia para minha residência, porque me sinto mais confortável e a comida sei que é mais saudável. Mas, difícil acontecer isso. Por conta disso, preciso ir comer nos restaurantes".

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias