Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 20 de janeiro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/01/2021
GOLDSTAR
CENTRO MÉDICO CLUBE DS  - OFTALMOLOGIA
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Suzanenses pagam mais de R$ 113 milhões em impostos neste ano

12 AGO 2016 - 08h00

Os suzanenses pagaram cerca de R$ 113 milhões em impostos municipais. O IPTU, ITBI e ISS são os impostos cobrados pelos municípios, e devem ser destinados aos gastos públicos com saúde, segurança, educação, transporte, cultura, pagamentos de salários de funcionários públicos, etc. Também devem ser usados para investimentos em obras públicas, como hospitais e rodovias.

Para o economista Luiz Edmundo de Oliveira Morais, esse valor arrecado é significativo para o município. "Os R$ 113 milhões é um orçamento interessante para uma cidade de porte médio, como Suzano. Imagino que daria para comprar cerca de duas mil casas populares, no valor de R$ 60 mil cada ou talvez 3,8 mil carros populares, custando R$ 30mil cada".

Segundo o economista, a cidade é afetada pela crise econômica. "Suzano é uma cidade caracteristicamente industrial. Vive do setor secundário e esse setor foi gravemente afetado, tanto pela concorrência internacional, como pela baixa modernização tecnológica. O setor primário, foi o que mais cresceu nos últimos anos no País. A agricultura se modernizou bastante e lucrou com a alta do dólar, por conta das exportações que o Brasil faz", disse.

"A sociedade contribui com 40% dos impostos, dá dinheiro ao governo de forma direta ou indireta, nos impostos inclusos nos preços dos produtos. Já pagamos uma carga elevadíssima, ficaria difícil contribuir mais. Estamos vivendo uma época de recessão, se os impostos aumentarem será ainda mais desestimulante. A saída é o governo diminuir seus gastos porque o valor dos impostos já está no limite. É pouco provável que o governo pare de pagar os salários dos funcionários públicos, o que pode acontecer é diminuir as contratações e cortar os aumentos de salários", comenta.

Luiz acredita que os impostos não dão um retorno eficaz. "Hoje em dia é difícil conseguir um bom atendimento na saúde ou educação. Pagamos muito e temos um retorno muito baixo. O Estado gasta de maneira ineficiente o dinheiro que arrecada".

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias